Soja recua na CBOT com correção técnica e clima bom nos EUA

Publicado em 27/05/2014 12:38 1575 exibições

O mercado da soja opera em baixa nesta terça-feira (27) na Bolsa de Chicago. Os futuros da oleaginosa recuavam, por volta de 12h (horário de Brasília), perdiam entre 18,40 e 24 pontos nos principais vencimentos, ampliando as perdas registradas mais cedo, que eram ligeiramente superiores a 10 pontos. 

Os negócios foram retomados em Chicago nesta terça-feira após a comemoração do Memorial Day nos Estados Unidos ontem e, segundo analistas, as cotações passam por uma correção depois do expressivo avanço da semana anterior. Os fundamentos, no entanto, seguem inalterados. 

Segundo Eduardo Vanin, analista de mercado da Agrinvest, o mercado da soja foi influenciado positivamente nas últimas duas semana pelo forte esmagamento de soja nos Estados Unidos, além de novas vendas de exportação que vêm sendo registradas no país para importadores como México, Japão e nações do leste asiático. 

"Essa combinação de esmagamento forte e ainda vendas novas nos Estados Unidos garantiu a retomada dos preços, com o contrato julho testando os US$ 15,30 na última quinta-feira (22). E começamos essa semana com um avanço de plantio da nova safra dos Estados Unidos", explica. 

As previsões indicam que os próximos seis dias deverão ser de boas condições climáticas para os trabalhos de campo. Chuvas na medida certa e temperaturas adequadas são esperadas para o intervalo dos próximos 6 a 15 dias, o que deverá garantir o avanço da semeadura da safra 2014/15 no Meio-Oeste americano, além do bom desenvolvimento da área que já foi plantada. 

As expectativas do mercado são de que o plantio até o último domingo (25) passe dos 50%, índice que se aproxima da média histórica, com os trabalhos de campo caminhando dentro da normalidade, ao contrário dos últimos dois anos. "Isso acaba tirando do mercado o prêmio de risco de um atraso do plantio ou do não plantio", diz Vanin.

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulga no final da tarde de hoje, após o fechamento do mercado, o novo boletim de acompanhamento de safras trazendo a atualização desses números. Até o último dia 18, 33% da área de soja já havia sido semeada. 

Aos poucos, portanto, o mercado vai dando mais espaço e atenção, de uma forma geral, à essa evolução da nova temporada dos Estados Unidos, observando o desenvolvimento das lavouras e o comportamento do clima nas principais regiões produtoras. Assim, de acordo com o analista da Agrinvest, o mercado fará um ponte dos negócios da safra velha com a nova, porém, o momento disso ainda é incerto. 

Produtor brasileiro deve estar atento aos picos de preços em Chicago

Ainda segundo Vanin, o produtor brasileiro tem participado do mercado e aproveitado esses picos de preços que a soja vem registrando em Chicago, não só para a safra 2013/14, como já começa a travar alguns volumes da temporada 2014/15.

"Eu acredito que o ritmo ainda está bastante abaixo do normal. Mas, sendo ajudado por um dólar mais alto, para o ano que vem, a conta em reais está muito atraente e eu recomendo mais vendas", afirma o analista.   

*As cotações apresentadas na página inicial do Notícias Agrícolas estão desatualizadas por conta de um problema técnico. Os ajustes estão sendo resolvido e logo os preços estarão atualizados. 

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário