Em Chicago, soja recua com boas expectativas para safra dos EUA

Publicado em 27/06/2014 13:27 1503 exibições

O mercado internacional da soja vem ampliando suas perdas na Bolsa de Chicago e, por volta de 12h50 (horário de Brasília), os vencimentos mais distantes recuavam mais de 12 pontos, com o contrato novembro/14, referência para a safra norte-americana cotada a US$ 12,27, recuando 17,20 pontos. Nas posições mais próximas, as perdas eram menos intensas. 

As expectativas de uma safra recorde nos Estados Unidos pesam sobre o mercado no médio e longo prazo. As condições climáticas nas mais importantes regiões produtoras do país têm se mostrado bastante favoráveis e as lavouras se desenvolvem bem. A última estimativa do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) projetou a colheita 2014/15 em mais de 98 milhões de toneladas e, até o último domingo (22), 72% dos campos cultivados com a oleaginosa estavam em boas ou excelentes condições. 

Paralelamente, o mercado já espera ainda números altos para a área de plantio de soja nos Estados Unidos nesta temporada. Na próxima segunda-feira, 30 de junho, o USDA traz seu primeiro relatório oficial com números da área e as expectativas do mercado são de mais de 33 milhões de hectares. O número fica bem acima do espaço destinado à commodity na temporada 2013/14, quando foram plantados 30,96 milhões de hectares. 

Com uma área de, aproximadamente 33,5 milhões de hectares, e sob boas condições de clima, as estimativa para a nova safra dos Estados Unidos poderiam subir cerca de 2 milhões de toneladas no potencial produtivo e, na nova estimativa do USDA, poderia o volume produzido poderia superar os 100 milhões de toneladas, segundo explica o consultor de mercadod a Brandalizze Consulting, Vlamir Brandalizze. 

"O problema é o fator psicológico que esses números podem gerar para o mercado de ver o número americano bater os 100 milhões de toneladas, ou um pouco acima, trazendo uma corrida dos grandes investidores para liquidar suas posições e realizar lucros em um período curto, até que esses números sejam absorvidos". Porém, ainda de acordo com o consultor, o impacto desse crescimento na produção americana não deverá ser tão severo sobre os preços, uma vez que o a demanda mundial também está em franco crescimento e "o mundo está comendo toda essa soja". 

Estoques trimestrais dos EUA devem recuar

Além dos números para a área de plantio, o USDA traz também o relatório de estoques trimestrais com a posição dos números em 1º de junho e as expectativas do mercado são de números ainda mais ajustados. De acordo com um levantamento feito por agências e consultorias internacionais, aponta para algo entre 10,61 milhões de 10,34 milhões de toneladas e, caso esses números forem confirmados, os estoques norte-americanos seriam os menores em 37 anos. O banco Société Génerale, por sua vez, aposta em estoques ainda mais apertados, na casa das 9,55 milhões de toneladas. 

Em março, os estoques trimestrais de soja foram reportados pelo departamento em 27 milhões de toneladas e, em junho do ano passado, esse número foi de 11,84 milhões de toneladas. 

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário