Na Reuters: Produtividade de soja nos EUA corre mais risco do que a de milho

Publicado em 15/08/2014 16:33 e atualizado em 15/08/2014 17:11 1999 exibições

As últimas projeções do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) para a produtividade da nova safra do país vieram, em sua maior parte, em linha com as expectativas dos analistas e confirmam as indicações de que os produtores americanos deverão colher safras recordes de milho e soja nesta temporada. 

Mas, enquanto os pesquisadores do departamento parecem confirmar o maior rendimento de todos os tempos para o milho neste ciclo nas principais regiões produtoras do país graças às boas condições de clima até o momento, eles limitaram a revisão para o produtividade da soja, entendendo que o quadro climático de agosto ainda tem um papel determinante no potencial produtivo das lavouras da oleaginosa. 

Dessa forma, segundo especialistas ouvidos pela agência internacional de notícias Reuters acredita que essa cautela diante da revisão dos números de produtividade da soja poderia significar a existência de um risco maior para as plantações da oleaginosa do que do cereal, mesmo que um pouco mais adiante, o que poderia ser reportado nos próximos boletins do departamento.

Indo devagar

As estimativas do USDA para o rendimento da soja e do milho, ainda de acordo com a Reuters, foram bastante conservadoras no relatório do último dia 12 de agosto e ficaram abaixo das expectativas das indústrias em cerca de 2,6 sacas por hectare para a soja e 0,2 saca para o milho. 

A principal razão para esses números menos expressivos foi a data utilizada de 1º de agosto para a formulação dos dados sendo, consequentemente, antes das fases finais de crescimento das lavouras, quando ainda há uma grande parte do desenvolvimento para ocorrer e quando acontece a definição efetiva da produtividade. 

Para o milho, por outro lado, o USDA achou por bem trazer um aumento na casa de 2,12 scs/ha em relação ao boletim de julho e um incremento de 2,85 em relação ao último recorde registrado para o cereal já que, claramente, observa o grande potencial da safra desse ano e das lavouras bastante saudáveis nas principais regiões produtoras do país.

Cauteloso, mas confiante

Apesar de mais conservadora, a projeção do departamento para o rendimento da soja apresentada no boletim de agosto marca um novo recorde, o que também mostra que, mesmo assim, o USDA também vê um grande potencial para a nova safra de soja diante das atuais condições das lavouras e mesmo antes da finalização de seu crescimento. 

Porém, de acordo com os últimos números e no atual estado em que se encontram as lavouras, só o estado de Illinois deverá registrar um rendimento recorde em 2014 e, para todos os demais estados produtores já se falam em números ligeiramente abaixo das máximas das últimas safras. 

Assim, com uma grande parte da área ainda por passar pelas fases mais importantes de desenvolvimento, esse menor "entusiasmo" na revisão da produtividade dos campos de soja nos EUA foi sensível e amplamente previsto pelo mercado. No entanto, o potencial de aumento desse rendimento em importantes regiões de produção não está descartado e continua apresentando um risco aos preços da commodity. 

O próximo boletim mensal de oferta e demanda do USDA será reportado no dia 11 de setembro, quando os pesquisadores do departamento poderão estimar o potencial da nova safra de soja dos EUA com mais confiança. E, caso o clima continue se mostrando favorável, sem nenhuma ameaça até esse período, o órgão poderia ainda aumentar suas projeções para o rendimento de soja em muitas áreas produtoras. 

Tradução: Notícias Agrícolas

Por Carla Mendes

Leia a matéria original, em inglês, no site da Reuters

Tags:
Fonte:
Reuters

0 comentário