Plantio da safra 2014/2015 de soja termina em Mato Grosso

Publicado em 16/12/2014 10:56 201 exibições

Após algumas dificuldades no início do plantio, por conta da irregularidade das chuvas em Mato Grosso, a semeadura da safra 2014/2015 da soja atingiu 100% no final da semana passada, segundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). As precipitações retomaram a normalidade e o agricultor mato-grossense conseguiu recuperar o ritmo e plantar na janela ideal para o bom desenvolvimento do grão, segundo avaliação da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato).
 
O informe do Imea aponta ligeiro atraso em relação à safra passada, quando o plantio encerrou no dia cinco de dezembro. De acordo com o diretor Administrativo e Financeiro da Famato, Nelson Piccoli, com a regularidade das chuvas, muitos produtores fizeram dois turnos para garantir a semeadura em tempo ideal. "O produtor mato-grossense é muito técnico e, apesar dos percalços do tempo no início do plantio, conseguiu ganhar ritmo", frisa.
 
O diretor da Famato pontua ainda que o mês de novembro registrou alta nas vendas futuras da soja, com 2,5 milhões de toneladas do grão negociadas, elevando a comercialização da safra 2014/2015 para 34%. "Havia uma perspectiva de que nós teríamos um ano complicado do ponto de vista econômico, em razão de que a soja teve um período de preços muito baixos e as previsões apontavam que este cenário se manteria. Isso acabou não se confirmando e o clima não favorável no início da safra contribuiu para que houvesse um alinhamento e uma melhora nos preços, além de outros fatores externos e internos como a valorização do dólar", afirma Piccoli.
 
O atraso no plantio da soja, apesar de superado, ainda pode influenciar a segunda safra de milho em Mato Grosso. No primeiro levantamento do ciclo 2014/2015, divulgado no início de dezembro pelo Imea, a projeção aponta redução de 12,18% na área em relação à safra 2013/2014, que deve sair de 3,2 milhões de hectares na safra passada para 2,8 milhões ha no próximo ciclo. "Os baixos volumes de chuvas no final de setembro e início de outubro, que ocasionaram atraso na semeadura de soja podem impactar sobre a janela ideal de semeadura do milho e causar redução na produtividade", destaca o gestor do Imea, Ângelo Ozelame.
 
Helicoverpa - Segundo Piccoli, neste ano os produtores se prepararam bem no controle e prevenção contra as lagartas, como a Helicoverpa Armigera, e as lavouras do Estado não apresentam grande incidência de pragas. "O produtor de Mato Grosso absorveu todas as orientações técnicas que foram passadas no ano passado e tem feito os procedimentos corretos no momento certo. O resultado está sendo muito positivo, é claro que há casos pontuais de focos, mas sob controle e sem grandes problemas", finaliza Piccoli.

Tags:
Fonte:
Ascom Famato

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário