Soja se fortalece em Chicago e opera com altas de dois dígitos; dólar também sobe

Publicado em 05/01/2015 12:39
1200 exibições

Na sessão desta segunda-feira (5), os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago mantêm sua força e ampliam os ganhos entre as posições mais negociadas. Por volta das 13h10 (horário de Brasília), as altas variavam entre 15,75 e 17,25 pontos, com o contrato março/15 cotado a US$ 10,24 por bushel, e o maio/15, referência para a safra brasileira, valendo US$ 10,31. 

Os preços da soja lideram o movimento positivo entre os grãos na CBOT, já que milho e trigo também sobem. Segundo Mike McGinnis, editor do site norte-americano Agriculture.com, "o tempo frio nas planícies dos Estados Unidos (principal região produtora de trigo do país) combinado com algumas perspectivas de áreas mais secas em algumas regiões da América do Sul estão apoiando o rally dos grãos nesta segunda-feira". 

Paralelamente, ainda nesta segunda, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) anunciou a venda de 233 mil toneladas de soja em grão, com entrega na temporada 2014/15, para a China, o que reforça o sentimento de demanda firme e crescente neste início de ano. 

O departamento reporta, ainda hoje, seu novo boletim semanal de embarques e os números também podem influenciar o mercado. Além disso, no próximo dia 12 de janeiro, o USDA traz seu novo reporte mensal de oferta e demanda e, de acordo com informações de sites internacionais, o órgão poderia reduzir seus estoques de soja e trazer as primeiras expectativas de uma produção menor nos EUA em 2015, o que também acaba sendo combustível para as cotações em Chicago. 

Por outro lado, o dólar nesta segunda-feira registra mais uma sessão de alta frente ao real e demais moedas internacionais, porém, os fundamentos parecem ter, para a soja, uma força maior neste pregão. 

Assim, os ganhos registrados em Chicago mais um avanço da moeda brasileira poderiam resultar em preços melhores para a oleaginosa no Brasil, ainda de acordo com analistas e consultores de mercado. Por volta das 13h30 (Brasília), o dólar subia mais de 1%, cotado a R$ 2,715.

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário