USDA aumenta safra de soja para mais de 114 mi de t e reduz números do milho

Publicado em 12/09/2016 13:16 e atualizado em 12/09/2016 17:55
3845 exibições

Os novos números do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) do reporte mensal de oferta e demanda, para a soja, atenderam às especulações e trouxeram uma robusta safra de soja do país em 114,33 milhões de toneladas. O boletim foi reportado nesta segunda-feira (12). O número fica acima das expectativas do mercado de 108,86 milhões e 113,35 milhões de toneladas. Em agosto, o USDA projetou 110,5 milhões. 

A produtividade foi, é claro, revisada para cima tamanho potencial da nova temporada e passou de 55,45 para 57,37 sacas por hectare, também acima do esperado. As áreas plantada e colhida, no entanto, foram mantidas em 33,87 milhões e 33,59 milhões de hectares. 

Assim, os estoques finais também subiram e vieram estimados em 9,93 milhões de toneladas, contra 8,98 milhões do boletim de agosto. O mercado esperava algo entre 6,67 milhões e 11,97 milhões de toneladas. 

Em contrapartida, os números da demanda também subiram. As exportações americanas cresceram de 53,07 milhões para 54,02 milhões de toneladas, enquanto o esmagamento interno de soja subiu de 52,8 milhões para 53,07 milhões de toneladas. 

Veja como fechou o mercado em Chicago após a divulgação dos novos números:

>> Soja: Apesar da pressão da safra americana, consultores afirmam suporte da demanda aos preços

Cenário Mundial: Aumento dos estoques finais e redução da nova safra do Brasil

A produção mundial de soja nesta nova temporada foi mantida, praticamente, inalterada. O número foi de 330,41 milhões para 330,43 milhões de toneladas. Os estoques finais globais, porém, cresceram de 71,24 milhões para 72,17 milhões de toneladas, enquanto o mercado esperava algo entre 65,1 milhões e 72,5 milhões de toneladas.

O USDA revisou ainda sua projeção para a safra brasileira de soja de 103 milhões para 101 milhões de toneladas. Os estoques, porém, subiram para 16,66 milhões, enquanto as exportações caíram para 58,4 milhões de toneladas. Ainda na América do Sul, a Argentina teve seus números mantidos em 57 milhões para produção, 27,82 milhões de estoques e exportações de 10,65 milhões de toneladas. 

O departamento reduziu ainda as importações chinesas estimadas em 86 milhões de toneladas, contra as 87 milhões do mês passado, e aumentou sua safra de 12,2 milhões para 12,5 milhões de toneladas. 

USDA Soja - Setembro

Milho: Safra americana é revista para baixo

No caso do milho, os números do USDA foram revisados para baixo no cenário da oferta. A nova safra americana estimada pelo departamento é de 383,38 milhões de toneladas, contra as 384,91 milhões projetadas em agosto. As expectativas variavam entre 373,91 milhões e 385,97 milhões de toneladas. 

A produtividade, apesar de elevada, também foi reduzida em relação ao mês anterior e passou de 185,32 para 184,57 sacas por hectare. Dessa forma, os estoques finais americanos agora estão estimados em 60,56 milhões de toneladas, contra as 61,19 milhões do reporte de agosto.. 

Os números da demanda, entretanto, foram mantidos. As exportações permaneceram projetadas em 55,25 milhões e o uso do cereal para a produção de etanol em 133,99 milhões de toneladas. 

Confira como fecharam os preços em Chicago depois do reporte do USDA:

>> Milho: Apesar da revisão na safra dos EUA, preços encerram 2ª feira com leve queda em Chicago

Mundo: Safra do Brasil maior e redução nos estoques globais

O USDA mexeu em seus números da safra mundial 2016/17 de milho, reduzindo sua projeção de 1.028,4 bilhão para 1.026,61 bilhão de toneladas. Assim, os estoques finais passaram por uma ligeira redução e ficaram em 219,46 milhões de toneladas, estando dentro das expectativas dos traders de 211,5 milhões a 228,7 milhões. 

Ainda em seu reporte de setembro, o departamento estimou um produção maior de milho no Brasil, de 82,5 milhões de toneladas, mas manteve os estoques projetados em 5,94 milhões de toneladas. As exportações, porém, foram revisadas para cima, ficando em 24,5 milhões de toneladas, contra 22 milhões de agosto. 

Para a Argentina, manutenção da safra e das exportações em, respectivamente, 36,5 milhões e 24 milhões de toneladas, com uma baixa nos estoques finais de 4,02 milhões para 3,02 milhões de toneladas. 

USDA Setembro - Milho

Safra 2015/16: Redução nos estoques finais de soja dos EUA; sobem os de milho

O USDA estimou ainda neste boletim de setembro uma baixa nos estoques finais de soja da safra velha. Os números caíram 6,95 milhões para 5,32 milhões de toneladas. Já os de milho, por outro lado, subiram de 43,3 milhões para 43,58 milhões. Em ambos os casos, as estimativas ficaram dentro das expectativas do mercado. 

Os estoques finais globais de soja, por sua vez, foram revistos para cima e aumentaram, ligeiramente, de 72,9 milhões para 73 milhões de toneladas. O mercado esperava algo entre 71,5 e 73,1 milhões de toneladas. Já os de milho foram de 209,25 milhões para 209,34 milhões, também dentro das projeções dos traders de 206,9 milhões e 210,5 milhões de toneladas. 

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Roberto Cadore Cruz Alta - RS

    Parece-me que os dados desse relatório (USDA) já estavam precificados em grande parte pelo mercado; pelo menos não foi extremamente baixista, lembrando que os EUA colherão uma super safra... resta saber se o milho poderá dar uma "forcinha" para a soja... veremos....

    3