Inoculação de cobertura aumenta produtividade da soja

Publicado em 13/09/2016 14:56
866 exibições
Com melhor fixação biológica de nitrogênio, pesquisa mostra que é possível colher até 900 kg a mais do grão por hectare

A soja é conhecida por seu alto potencial de fixar nitrogênio biologicamente. Por meio da simbiose com bactérias do gêneroBradyrhizobium se formam em suas raízes pequenos nódulos onde ocorre a transformação do N2 atmosférico em compostos assimiláveis pela planta.

“Acontece que, falando de uma cultivar de ciclo médio, por exemplo, depois de 70 dias esse número de nódulos vai caindo. Então, quisemos testar uma estratégia para manter ou até aumentar essa quantidade”, afirma Luiz Gustavo Moretti, mestre em Agronomia pela Unesp Ilha Solteira, SP.

Em parceria com a Embrapa Soja e com fomento da Agrisus, ele mostrou ser viável, por meio de inoculações de cobertura em sistema irrigado, influenciar na formação dos nódulos, aumentando a fixação de nitrogênio na fase de enchimento de grãos da soja – que é quando a planta mais demanda esse nutriente. Hoje, tradicionalmente, a inoculação ocorre apenas via semente para viabilizar as bactérias no solo e permitir que elas colonizem a raiz da planta.

Em regiões do Mato Grosso do Sul e Goiás, Moretti teve contato com produtores que faziam a inoculação de cobertura em caráter corretivo. “Em função de algum contratempo na inoculação no plantio, eles tentavam compensar falhas no processo com a aplicação de nitrogênio em cobertura”, explica. Sua pesquisa de mestrado mostrou que a inoculação no plantio é indispensável, sendo o suplemento em cobertura um adicional que pode aumentar a produtividade na lavoura.

Durante a safra 2015/2016, na Fazenda de Ensino, Pesquisa e Extensão da Unesp, no município de Selvíria, MS, nos talhões onde foi feita a inoculação via semente associada a inoculações de cobertura a produtividade média da soja foi de 4.300 a 4.500 kg. Já no tratamento padrão, só com inoculação via semente, a colheita não ultrapassou os 3.600 kg de grãos/ha. “Considerando os resultados, estamos falando de até 900 quilos a mais”, diz o pesquisador.

Palhadas - Nos experimentos conduzidos em Selvíria também foi analisada a eficiência do inoculante em cobertura para condições de sequeiro e irrigado com três palhadas diferentes – braquiária, crotalária e milho – em sistema de plantio direto (SPD). De acordo com Moretti, tendo umidade, a inoculação de cobertura é eficiente em todos eles.

Leia a notícia na íntegra no site Portal DBO

Fonte: Portal DBO

Nenhum comentário