Soja fecha em queda nesta 3ª feira com cautela sobre mais um dia de conversas entre China e EUA

Publicado em 08/01/2019 18:28
596 exibições

LOGO nalogo

Em um dia de mercado técnico e realização de lucros, os preços da soja fecharam o pregão desta terça-feira (8) em baixa na Bolsa de Chicago. Como explicou o consultor de mercado Vlamir Brandalizze, da Brandalizze Consulting, as expectativas sobre o encontro das delegações americana e chinesa que acontece em Pequim nesta semana continuam e mantêm a cautela dos traders. 

Assim, depois de quatro sessões consecutivas de altas em 2019, os futuros da commodity perderam entre 5,25 e 6 pontos. Com isso, o janeiro fechou em US$ 9,06 e o maio/19 em US$ 9,31 por bushel. Mesmo com as baixas, o mercado conseguiu sustentar o patamar dos US$ 9,00 e esse é mais um bom sinal para a formação dos preços. 

"O mercado sustentou esse patamar mesmo em um dia de liquidação", diz Brandalizze, confirmando que o intervalo entre US$ 9,00 e US$ 9,50 deverá ser mantido, ao menos no curto e médio prazos, até que novas informações saiam das negociações entre China e Estados Unidos ou como agravamento das perdas na América do Sul de forma considerável. 

Chineses e americanos se reunirão pelo terceiro dia, em um encontro inicialmente estimado para durar apenas dois e isso poderia sinalizar, como explica o consultor, que um acordo entre ambos os países ainda estaria distante. Enquanto a confirmação não sai, "o mercado é cauteloso e se protege", diz. 

Além disso, há ainda a paralisação do governo norte-americano que impede que novas informações de vendas para exportação dos EUA sejam compartilhadas, bem como a confirmação de compras chinesas nos EUA e os boletins de oferta e demanda previstos para os próximos dias. E tudo isso também é fator de pressão para os preços. 

Da mesma forma, o que se sabe até este ponto da safra brasileira, depois das perdas que vêm sendo relatadas, também já estaria precificado. O mercado precisaria agora de novas notícias para voltar a reagir diante deste fator. 

Segundo a ARC Mercosul, os próximos 10 dias serão de padrão mais seco em todo o Centro-Leste do Brasil, com as chuvas mais concentradas no Sul do país, bem como na região Amazônica. Os acumulados totais, entre 7 e 12 de janeiro, deverão ficar enrre 25 e 50 mm. 
 
Nesse ambiente, a consultoria já estima uma baixa de 5 milhões de toneladas na safra 2018/19 do Brasil, com a possibilidade de serem colhidas, portanto, 116,8 milhões de toneladas. "Nossa equipe de análise nos lembra que a probabilidade de uma nova redução é alta, uma vez que os mapas climáticos para janeiro trazem uma retração das chuvas no Centro do país', dizem os especialistas.

Mercado Brasileiro

Nos portos, os preços da soja seguem recuando e, nesta terça-feira, apresentaram baixas mais intensas no porto de Rio Grande. Tanto no disponível, quanto para fevereiro,a  soja perdeu 1,03%, para fechar com R$ 77,20 e R$ 77,00 por saca, respectivamente. 

Em Paranaguá, perdas de 0,91% e 0,52% para R$ 76,40 e R$ 76,50 por saca. 

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário