Soja: Mercado sobe em Chicago nesta 4ª feira após baixas consecutivas, mas segue pressionado

Publicado em 22/01/2020 08:46 e atualizado em 22/01/2020 11:20
1185 exibições

LOGO nalogo

Nesta quarta-feira (22), o mercado da soja testa uma recuperação na Bolsa de Chicago e opera com leves altas entre as posições mais negociadas. Por volta de 8h20 (horário de Brasília), os preços subiam entre 4,75 e 5 pontos levando o março a US$ 9,21 e o o maio a US$ 9,34 por bushel. O contrato julho segue operando abaixo dos US$ 9,50 e é cotado a US$ 9,48. 

Os futuros da oleaginosa vieram acumulando baixas consideráveis desde a divulgação da fase um do acordo comercial entre chineses e americanos na semana passada. A falta das compras por parte da China nos EUA pressionaram as cotações, que agora tentam se recuperar. 

As notícias, no entanto, ainda não mudaram. E a proximidade do feriado do Ano Novo Lunar na nação asiática - o mais longo e importante do país - pode manter os negócios em um ritmo ainda limitado nos próximos dias, principalmente no mercado norte-americano. 

Embora o conflito esteja no centro das atenções, o início da chegada da oferta brasileira e o cenário político e econômico também responde por parte da pressão que é sentida pelas cotações. 

"Pesam sobre o potencial de rally o atual quadro geopolítico/econômico mundial, a colheita da safra da América do Sul e o surto de um novo vírus mortal afetando humanos", explica o consultor de mercado Steve Cachia, da AgroCulte e Cerealpar. Assim, ainda segundo o executivo, "o mercado continua sendo muito afetado por ajustes técnicos provocados por fatores não tradicionais, que também são a razao pelo nível alto do dólar no Brasil".

Veja como fechou o mercado nesta terça-feira:

>> Soja: Chicago fecha 3ª feira com baixas de dois dígitos na CBOT com China sem comprar nos EUA 

Tags:
Por: Carla Mendes | Instagram @jornalistadasoja
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário