Soja continua trajetória de alta e tem novos ganhos em Chicago nesta 5ª feira

Publicado em 06/05/2021 08:11 e atualizado em 06/05/2021 11:05 3768 exibições

LOGO nalogo

Nesta quinta-feira (6), o mercado da soja segue operando com novos avanços na Bolsa de Chicago. Por volta de 7h40 (horário de Brasília), as cotações subiam entre 14 e 23,25 pontos, com  o julho sendo cotado a US$ 15,65 e o novembro, US$ 13,96 por bushel. 

Os fundamentos seguem positivos e dando espaço às altas que vem sendo registradas nos últimos dias. Há os baixos estoques norte-americanos - e a possibilidade de serem revisados para baixo no próximo relatório do USDA na semana que vem - a pouca oferta global da oleaginosa - e mais o clima que preocupa nos EUA para a germinação das lavouras neste momento. 

"Entramos em uma bolha especulativa/emocional. Os altistas ainda dominam o mercado e, apesar de ser cedo ainda na temporada americana, o objetivo continua sendo de fazer novas máximas hístoricas", acredita Steve Cachia, consultor de mercado da Cerealpar e da TradeHelp.

Por outro lado, ainda como explica o executivo, há também um "mercado que começa a ficar superlotado com aqueles que subiram tarde neste bonde altista", referindo-se ao intenso e elevado posicionamento dos fundos investidores nas commodities. 

"É um momento de grande risco neste curto prazo, com volatilidade elevada possível para qualquer lado. Do lado fundamental, no momento vale o ditado que a melhor cura para preços altos e preços mais altos', porque a demanda para soja americana precisa continuar sendo racionada nos EUA, e não estamos ouvindo notícias de cancelamentos ou e vendas quase zeradas", completa. 

Veja como fechou o mercado nesta quarta-feira:

+ Que momento é este para o produtor de soja? Diante de preços recordes, analistas respondem

+ Soja: Agrinvest alerta para mudança de cenário no curto prazo e oportunidade de negócios para nova safra brasileira

Ainda nesta quinta, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) informa seu novo boletim semanal de vendas para exportação, o que também pode ajudar a direcionar as cotações em Chicago, mesmo que pontualmente. 

Tags:
Por:
Carla Mendes | Instagram @jornalistadasoja
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário