Publicidade

Soja fecha 5ª feira em alta na Bolsa de Chicago com apoio na demanda e no clima

Publicado em 29/07/2021 18:26 1475 exibições

Logotipo Notícias Agrícolas

O mercado da soja na Bolsa de Chicago fechou em alta nesta quinta-feira (29). Os preços subiram entre 2,25 e 16,75 pontos nas posições mais negociadas e, mais uma vez, as cotações subiram motivadas pela preocupação com o clima no Meio-Oeste americano e, nesta quinta, também pela demanda nova que apareceu com anúncios de vendas trazido pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos). 

Foram 132 mil toneladas de soja para destinos não revelados e todo o volume é da safra 2021/22. Há semanas o USDA não trazia novas vendas e a informação deu um novo ânimo aos preços. 

No entanto, o que ainda limita parte do avanço das cotações são as vendas para exportação ainda mais lentas, apesar do anúncio desta quinta. Afinal, também hoje o boletim semanal trouxe vendas fracas, confirmando uma demanda pelos grãos norte-americanos, ao menos por agora, fraca. No milho, mais cancelamentos foram reportados por parte da China, como se deu também na semana passada, e o mercado monitora também este fator. 

De outro lado, os novos mapas atualizados seguem mostrando que as condições esperadas para os próximos dias. As imagens abaixo, do NOAA, o serviço oficial de clima dos EUA, mostram as previsões para o intervalo de 4 a 8 de agosto, com temperaturas acima da média para boa parte do Corn Belt e chuvas abaixo para todas as principais regiões produtoras dos EUA. 

Temperaturas 6 a 10 dias

Publicidade

Chuvas 6 a 10 dias

"As previsões climáticas continuam sendo preocupantes e devem continuar nesta tendência até meados de agosto. Qualquer chance de chuva pode fornecer um alívio momentâneo, mas para reverter o quadro é necessário uma mudança significativa nos padrões climáticos, ainda mais considerando o avanço de estágios importantes nas lavouras", explica Ginaldo de Sousa, diretor do Grupo Labhoro.

MERCADO BRASILEIRO 

No Brasil, mais um dia de poucos negócios e preços estáveis em quase todo o país. As principais praças de comercialização não registraram grandes mudanças apesar das altas na CBOT por conta da baixa do dólar. A moeda americana cedeu 0,68% para fechar o dia com R$ 5,08. 

Onde houve alteração nos preços, os indicativos recuaram e as baixas chegaram a pouco mais de 1%. Em Pato Branco/PR, queda de 1,29% para R$ 152,50 por saca; São Gabriel do Oeste/MS, perda de 1,29% para R$ 153,00. 

Tags:

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário