Valorização estimula vendas da soja no mercado

Publicado em 25/06/2010 09:57 450 exibições
A pequena valorização no preço do bushel de soja (equivalente 27,215 quilos do grão) em Chigaco estimulou as vendas futuras em Mato Grosso. O preço que passou de US$ 9,30, aproximadamente, para US$ 9,70, devido ao anúncio de um suposto problema climático que os Estados Unidos e a China enfrentariam, animou os produtores do Estado que temem um achatamento das cotações por causa de uma supersafra americana. As vendas futuras estão 5,2% mais adiantadas que no mesmo período do ano passado, quando 5,4% haviam sido comercializados. Este ano, 10,6% dos 6,094 milhões de hectares que devem ser plantados estão com a produção vendida.

Aliado à pequena valorização, a necessidade de comercializar para garantir recursos para a compra de insumos da próxima safra influenciou as vendas. É o que explica Karine Gomes Machado, técnica de grãos da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso(Famato). Ela explica que os baixos preços da soja nesta safra estão forçando os produtores rurais a iniciar a comercialização e assim aumentar a rentabilidade.

O diretor da Associação dos Produtores de Soja de Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Carlos Fávaro diz que as venda futuras são decorrentes desta pequena valorização e do possível achatamento de preço na safra 2010/2011 em consequência de uma supersafra. "Os brasileiros aproveitaram a oportunidade para garantir venda", explica Fávaro que também comenta que esta é uma recomendação. "Se a supersafra for confirmada os preços cairão muito e os prejuízos serão grandes. Por isso os produtores devem ficar de olho porque qualquer valorização no mercado externo pode ser uma boa oportunidade".

Milho- Por sua vez, o milho está com a comercialização em baixa em virtude dos baixos preços conquistados. Carlos Fávaro explica que sem liquidez, os produtores estão preferindo reter as vendas. Assim, a comercialização, que neste período do ano passado era de 28,9% do total plantado, no último dia 23 estava em 26,4%, segundo dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Quanto ao leilão de Prêmio para Escoamento da Produção (PEP), que seria realizado nesta quinta-feira (27) e foi cancelado a pedido do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) já foi remarcado para dia 1º de julho. Em Mato Groso serão ofertadas 600 mil toneladas. O cancelamento ocorreu para revisão técnica dos resultados dos leilões anteriores.

Tags:
Fonte:
Só Notícias

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário