Embarques de soja do Brasil para a China superam os dos EUA

Publicado em 24/10/2011 10:56 e atualizado em 24/10/2011 12:01 600 exibições
Os Estados Unidos, tradicionalmente os maiores fornecedores de soja para China, foram superados pelo Brasil em volume embarcado da oleaginosa no acumulado do ano até setembro.

As vendas brasileiras foram de 16,46 milhões de toneladas, enquanto as norte-americanas foram de 15,74 milhões de toneladas. As informações são da Administração Alfandegária da China.

Só no mês passado, o Brasil exportou para a nação asiática 2,56 milhões de toneladas de soja, um volume 14,8% maior do o vendido no mesmo mês em 2010. Enquanto isso, as exportações dos EUA foram de 285,9 mil toneladas, já que sua nova safra está apenas no começo.

Juntos, Brasil e Estados Unidos - os principais fornecedores do produto para a China - responderam por, aproximadamente, 85% das importações chinesas.

Em alguns períodos, os brasileiros superam os americanos nas exportações por conta das épocas da safra. Em setembro, por exemplo, os EUA estavam no pico da entressafra e com baixos estoques. O Brasil, no mesmo momento, ainda tinha produto para exportar.

China deve aumentar em 15% importações da soja sul-americana

Na semana passada, a China divulgou números de redução de quatro décimos em sua economia neste terceiro trimestre de 2011, em relação ao trimestre anterior. Apesar de ainda estar na casa dos 9%, o número sinaliza um possível desaquecimento na demanda no país asiático. No entanto, mesmo com dados de retração na economia chinesa, o país deve aumentar em 15% as importações da soja brasileira e argentina, a previsão foi divulgada no último dia 19 pela consultoria alemã Oil World.   

Para o presidente da Aprosoja, Glauber Silveira, a expectativa quanto à China segue positiva, pois o mercado interno chinês é item de primeira necessidade e, por isso, não deve sofrer desabastecimento.

Ainda de acordo com Silveira, o chinês prima por qualidade e a oleaginosa brasileira se destaca frente à americana nesse aspecto. “O percentual de proteína e de óleo da soja do Brasil é até 10% maior que a soja dos EUA. A melhor soja americana é igual à nossa pior”, enfatiza o representante da Aprosoja.   

Em novembro, a Aprosoja volta à China. Dessa vez, em busca de soluções em investimentos para a logística brasileira.

Tags:
Por:
Ana Paula Pereira e Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário