Conab destoa do mercado e vê recordes para cana, açúcar e etanol

Publicado em 10/04/2014 15:02 501 exibições
Apesar da severa seca no Sudeste brasileiro no início do ano, o Brasil ainda conseguirá produzir volumes recordes de cana, açúcar e etanol na safra 2014/15, na avaliação da estatal Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), diferentemente do que apontam consultorias e a indústria. A Conab estimou nesta quinta-feira uma produção histórica de cana tanto para o país, de 671,7 milhões de toneladas, quanto para o centro-sul, de 613 milhões de toneladas, ante aproximadamente 570 milhões de toneladas apontadas por integrantes do setor privado para a principal região produtora do Brasil. Essa disparidade ocorre basicamente porque a Conab estimou uma produtividade agrícola maior do que a esperada pelo mercado, que aponta queda mais acentuada no rendimento por hectare em função da falta de chuva em importantes áreas produtoras em janeiro e fevereiro, meses que costumam ser bastante chuvosos.

Apesar da severa seca no Sudeste brasileiro no início do ano, o Brasil ainda conseguirá produzir volumes recordes de cana, açúcar e etanol na safra 2014/15, na avaliação da estatal Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), diferentemente do que apontam consultorias e a indústria.

A Conab estimou nesta quinta-feira uma produção histórica de cana tanto para o país, de 671,7 milhões de toneladas, quanto para o centro-sul, de 613 milhões de toneladas, ante aproximadamente 570 milhões de toneladas apontadas por integrantes do setor privado para a principal região produtora do Brasil.

Essa disparidade ocorre basicamente porque a Conab estimou uma produtividade agrícola maior do que a esperada pelo mercado, que aponta queda mais acentuada no rendimento por hectare em função da falta de chuva em importantes áreas produtoras em janeiro e fevereiro, meses que costumam ser bastante chuvosos.

Leia a notícia na íntegra no site da Reuters.

Fonte:
Reuters

0 comentário