Etanol: Preço do hidratado se enfraquece; anidro tem valorização

Publicado em 09/09/2014 10:20 307 exibições

Neste início de setembro, distribuidoras mostraram baixa necessidade de compra, visto que estão relativamente abastecidas, segundo pesquisadores do Cepea. Quanto às usinas, a oferta esteve ligeiramente maior, devido à necessidade de “fazer caixa” ou liberar espaço nos tanques. Este cenário levou à estabilidade nos preços do etanol hidratado na última semana no mercado paulista. Entre 1º e 5 de setembro, o Indicador CEPEA/ESALQ (estado de São Paulo) deste combustível teve média de 1,2316/l (sem impostos), ligeiro recuo de 0,1% na comparação com a semana anterior. Quanto ao anidro, o Indicador CEPEA/ESALQ teve média semanal de R$ 1,3514/litro (PIS/Cofins zerados), alta de 2% na mesma comparação. Esse aumento, porém, corresponde a um “repasse” das valorizações anteriores do hidratado – que costuma acontecer mais lentamente para o anidro –, tendo em vista que o volume de negócios diminuiu na semana passada.

Fonte:
Cepea

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

2 comentários

  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Se faltam criminosos, o governo os cria...

    Não há forma de comandar homens inocentes. O único poder que o governo tem é de reprimir os criminosos.

    Quando não há criminosos suficientes, ele os cria. Ele declara que tantas coisas são crimes que se torna

    impossível para os homens viver sem desrespeitar as leis. [Ayn Rand].

    Para implantar o regime socialista, o Governo cria regras cada vez mais incumpríveis, deste modo seus funcionários se tornam "vendedores de facilidades" estimulando os CORRUPTORES que acabam não tendo outra saída...

    E o povo IDIOTA aplaude as regras mais exigentes todo dia.

    Um aviso amigável a todos os inocentes e ingênuos "criminosos" do Brasil, vocês ingressaram nesta classe.

    Vendedores ambulantes sem registro na Prefeitura; prestadores de serviço de transporte sem autorização;

    empreendedores sem MEI ou CNPJ; importadores sem aval da Receita Federal; os possuidores de armas para defesa própria;

    aqueles que compartilham a internet com o vizinho etc...

    0
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    Uma coisa impressionante è a quantidade de resoluções tomadas pelo governo, mais impressionante ainda è que são resoluções que não resolvem nada, nenhum problema, nenhuma dùvida, e em sentido oposto apenas regula, regulamenta, dita as regras. E as regras ditadas pelo governo sempre visam tornar impossível que pequenas empresas consigam entrar no mercado. No caso do álcool, por exemplo, existe uma “resolução” que determina que produtores mantenham estoques visando a garantia de abastecimento aos consumidores, também controle de qualidade, especificações, somente à cargo de órgãos públicos e inúmeros regulamentos contidos em “resoluções”, decretos, etc... Para quem analisa o objetivo de fundo, è o de através de forte regulamentação, garantir o recolhimento da alta tributação incidente sobre o produto. Nisso os próprios socialistas parecem reconhecer a indecência de se ter duas legislações para um mesmo setor, baseada em critérios de tamanho de empreendimento, propriedade, produção, etc... E que no caso apresentado aqui, seria o de fornecer privilégios, vantagens, aos pequenos produtores. Na verdade, o problema para o governo, è que a única solução viável para o problema seria a desregulamentação. E isso os grandes usineiros não querem, pois seriam obrigados a enfrentar uma grande competição com uma multidão de produtores.

    0