Açúcar salta mais de 2% nesta segunda-feira na Bolsa de NY

Publicado em 21/06/2021 16:13 e atualizado em 22/06/2021 11:53 106 exibições
Após quedas recentes, mercado registrou movimentos de recompras e seguiu financeiro do dia

LOGO nalogo

As cotações futuras do açúcar saltaram de forma expressiva nesta sessão de segunda-feira (21) na Bolsa de Nova York, além de terem ganhos moderados em Londres. O dia foi marcado por recompras depois de quedas recentes, além de atenção ao financeiro global.

O principal vencimento do açúcar bruto na Bolsa de Nova York subiu 2,46%, cotado a US$ 16,66 c/lb nesta sessão, com máxima de 17,20 c/lb e mínima de 16,44 c/lb. Enquanto que o tipo branco em Londres teve alta de 0,54%, negociado a US$ 425,70 a tonelada.

Depois de iniciar o dia ainda nos US$ 16 c/lb, o mercado do açúcar passou a ganhar forças nesta tarde de segunda diante de um movimento de recompra, após sete sessões no vermelho, além de atenção para os movimentos do financeiro, com destaque para alta do petróleo.

“Esse movimento [de compras de oportunidade] começou agora no meio-pregão. O açúcar vinha acumulando quedas intensas nas últimas semanas e depois disso veio essas ordens automáticas”, disse ao Notícias Agrícolas Maurício Muruci, analista da Safras & Mercado.

Colheita mecanizada de cana-de-açúcar na RMC - Foto: Embrapa
Chuvas na última semana foram escassas, segundo levantamento da Somar - Foto: Reuters

O petróleo WTI e o Brent subiam cerca de 1% neste tarde de segunda-feira nas bolsas externas. Além disso, o mercado tinha suporte da queda do dólar sobre o real, já que desencoraja as exportações das commodities, mas em compensação favorece o mercado.

De acordo com a agência de notícias Reuters, o mercado do petróleo operava em alta no dia diante da convocação do novo presidente iraniano pelos EUA e Europa referente ao cumprimento do acordo nuclear firmado em 2015.

Um petróleo mais alto no cenário internacional tende a fazer com que as usinas de açúcar e etanol do Brasil elevem a produção de etanol por compensar mais do que o açúcar, mas em compensação podem diminuir a oferta do adoçante no mercado.

Nos fundamentos, a fornecedora de informações de commodities Barchart pontuou no dia que os operadores também olharam para a questão climática no Brasil, com menos chuvas na última semana depois de certo alívio ao desenvolvimento da safra de cana-de-açúcar.

"A Somar Meteorologia informou hoje que as chuvas foram escassas na região central do Brasil na semana passada", disse a Barchart.

Mercado interno

Depois de valorizações seguidas, o mercado físico do açúcar teve queda na sexta. Como referência, o Indicador CEPEA/ESALQ do açúcar, cor Icumsa de 130 a 180, mercado paulista, teve desvalorização de 2,03%, cotado a R$ 115,37 a saca de 50 kg.

No Norte e Nordeste do Brasil, o açúcar registrou alta de 6,50%, a R$ 132,65 a saca, segundo dados levantados pela consultoria Datagro. O açúcar VHP, em Santos (SP), tinha no último dia de apuração disponível o preço FOB cotado a US$ 17,28 c/lb com queda de 0,72%.

ETANOL

O Indicador do etanol hidratado CEPEA/ESALQ - São Paulo teve queda de 4,17% na última semana, a R$ 2,8753 o litro, enquanto que o anidro perdeu 2,20%, a R$ 3,3691 o litro.

» Clique e veja as cotações completas de sucroenergético

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário