Na Semana Nacional do Trânsito, Sindalcool-PB destaca como o etanol ajuda a preservar vidas por evitar emissões de CO2

Publicado em 21/09/2021 10:44 47 exibições
O biocombustível evita a emissão de material particulado, um resíduo extremamente tóxico, que causa danos à saúde humana

Entre os dias 18 e 25 de setembro, é comemorada, anualmente, a Semana Nacional do Trânsito (SNT). Durante este período, várias ações são executadas em todo o país com o intuito de conscientizar os envolvidos no cotidiano do trânsito - como motoristas, passageiros, motociclistas, ciclistas ou pedestres - para respeitar as normas de segurança. O tema das campanhas educativas de 2021 é: “No trânsito, sua responsabilidade salva vidas”. 

Na Paraíba, de janeiro a agosto de 2021, foram registrados 12.337 sinistros no trânsito, sendo que 462 deles resultaram em óbitos. Além disso, o motociclista é o público mais vulnerável, com 9.630 sinistros.

Segundo Abimadabe Vieira, observadora certificada do Observatório Nacional de Segurança Viária e representante estadual do Maio Amarelo na Paraíba, as orientações durante a SNT giram em torno de fatores de risco propostos pela Organização das Nações Unidas (ONU). 

“Os cinco fatores de risco propostos pela ONU são dirigir sob o efeito de álcool, excesso de velocidade, não uso do capacete, do cinto de segurança, das cadeirinhas para crianças e fazer uso do celular ao conduzir. Além desses, vale acrescentar o risco dos animais soltos na pista. Para os pedestres, a conscientização é atenção a sinalização, travessia na faixa de segurança e uma atenção especial para que quando estiverem com crianças, sempre segurar no punho da mesma”, diz a observadora. 

Como o etanol ajuda a preservar vidas

O setor automotivo é um dos que mais contribuem para as emissões de CO2 no planeta. Com base nisso, o Sindicato da Indu?stria de Fabricac?a?o do A?lcool no Estado da Parai?ba (Sindalcool-PB) destaca, durante a SNT, as contribuições do biocombustível etanol para a preservação da saúde humana e a melhoria da qualidade do ar. 

“O etanol é um produto biológico, sem aditivos químicos. Evita a chuva ácida causada pelos gases dos combustíveis fósseis. O monitoramento da qualidade do ar é o foco das medidas das políticas públicas sobre mudanças climáticas. Com ar mais puro, são menores os riscos de alergias e problemas cardio respiratórios para as pessoas. Com mais empregos, as pessoas vivem com mais vigor”, diz o presidente do Sindalcool-PB, Edmundo Barbosa.  

O biocombustível etanol evita a emissão de material particulado, um resíduo extremamente tóxico, que resulta da queima de combustíveis fósseis, como gasolina e diesel, e de outros processos. Os benefícios do uso do biocombustível são destacados, inclusive, por profissionais de saúde. 

“O etanol, realmente, tem uma melhor qualidade do que os combustíveis fósseis porque durante a sua queima há apenas uma pequena produção de material particulado que vai para o ar. O ideal seria que tentássemos caminhar fortemente na direção da substituição de combustíveis fósseis pelo biocombustível. Precisamos avançar e evoluir na produção do etanol e superar as dificuldades que alguns lugares ainda têm nesse processo”, diz a pneumologista Maria Enedina Scuarcialupi.

Os perigos da alta concentração de CO2 na atmosfera são amplamente conhecidos por causarem enormes desequilíbrios ambientais.  Entretanto, a inalação dos gases poluentes é danosa à saúde. 

A pneumologista Maria Enedina também aponta que sete milhões de pessoas morrem por ano, no mundo inteiro, pelo fato de respirarem ar poluído. “O ar poluído contém material particulado. Essas partículas vão para os pulmões, provocando um processo inflamatório que pode se difundir para todo o corpo e causar doenças não só respiratórias, mas também cardiovasculares. As doenças respiratórias, de uma forma geral, podem ser potencializadas, como as pneumonias virais e as doenças cardiovasculares também, como infarto e acidente vascular cerebral”, explica a médica. 

Etanol ajuda a reduzir emissões poluentes na Paraíba e no mundo 

Dados atualizados do Sindalcool-PB mostram que, de janeiro a junho deste ano, o consumo de etanol anidro e hidratado na Paraíba evitou a emissão de cerca de 385.933 mil toneladas de CO2. Em 2020, o número foi de cerca de 171 mil toneladas de CO2.

Desde 2003, quando foi lançada a tecnologia de motores flex no Brasil, o etanol evitou a emissão de mais de 500 milhões de toneladas de CO2 na atmosfera. O biocombustível é conhecido internacionalmente por contribuir na redução da pegada de carbono. 

Toda a cadeia do etanol, que é oriundo da cana-de-açúcar, é sustentável. Levando em consideração o ciclo de vida completo do biocombustível, o etanol reduz as emissões de CO2 em até 90% em relação à gasolina

Fonte:
Sindalcool-PB

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário