Açúcar avança quase 3% nesta 6ª e retoma patamar dos 19 cents/lb em NY

Publicado em 13/05/2022 17:06 e atualizado em 16/05/2022 08:55 275 exibições
Mercado seguiu disparada nos preços do petróleo e câmbio, além de informações sobre safra do BR

Logotipo Notícias Agrícolas

Os contratos futuros do açúcar encerraram a sessão desta sexta-feira (13) com alta de quase 3% nas bolsas de Nova York e Londres. O mercado teve suporte do petróleo e câmbio, além das informações sobre a safra brasileira 2022/23.

O principal vencimento do açúcar bruto na Bolsa de Nova York subiu 2,84%, cotado a 19,17 cents/lb, com máxima de 19,20 cents/lb e mínima de 18,68 cents/lb. Em Londres, o primeiro contrato subiu 2,84%, negociado a US$ 535,70 a tonelada.

Na semana, o principal vencimento saltou 2,73% no terminal norte-americano.

A safra 2022/23 de cana-de-açúcar do Centro-Sul do Brasil têm ganhado ritmo nos últimos dias, mas os resultados têm sido abaixo do que o esperado. A temporada anterior foi fortemente impactada pelas condições climáticas adversas.

"[Há] conversas de que o Brasil deveria favorecer a produção de etanol nesta temporada em relação ao açúcar", disse a agência de notícias Reuters sobre o mercado nesta sexta-feira.

A Archer Consulting, por exemplo, voltou a revisar suas estimativas de moagem de cana-de-açúcar no Centro-Sul do Brasil na safra 2022/23, que agora está projetada em 548 milhões de toneladas, sobre 552 milhões de t da projeção de abril.

A revisão ocorre em virtude da percepção de um rendimento menor do que anteriormente esperado (ATR de 140,52 para 139,48 kg).

Além disso, de acordo com a Reuters, a produção de açúcar dos Estados Unidos deve cair na próxima temporada, possivelmente aumentando as importações, disse o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA, em inglês).

No financeiro, o dia também foi de suporte aos preços externos do adoçante. Em meio preocupações com a menor oferta russa de petróleo, mas ainda atento para os temores com a demanda na China, o óleo subia cerca de 4% no terminal externo.

Além disso, houve suporte com a desvalorização do dólar sobre o real, o que desencoraja as exportações das commodities.

MERCADO INTERNO

O avanço da safra 2022/23 do Centro-Sul segue dando pressão ao mercado do açúcar no mercado do Brasil. No último dia de negociação, o Indicador CEPEA/ESALQ do açúcar, cor Icumsa de 130 a 180, mercado paulista, caiu 1,18%, negociado a R$ 131,21 a saca de 50 kg.

Já nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, o açúcar ficou cotado a R$ 153,84 a saca - estável, segundo dados levantados pela consultoria Datagro. O açúcar VHP, em Santos (SP), tinha no último dia de apuração o preço FOB a US$ 19,73 c/lb - na estabilidade.

» Clique e veja as cotações completas de sucroenergético

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário