EUA tentam renovar tarifa sobre álcool de cana brasileiro

Publicado em 27/03/2010 07:57 552 exibições

Por meio da introdução de um projeto de lei bipartidário, a Câmara dos Representantes (deputados) dos EUA deu um passo importante nesta semana para renovar por cinco anos tanto as tarifas impostas ao álcool de cana de açúcar importado do Brasil como os subsídios ao álcool americano, de milho.
Com o apoio da indústria de combustíveis renováveis dos EUA, os deputados Earl Pomeroy (democrata de Dakota do Norte) e John Shimkus (republicano de Illinois) apresentaram o projeto -que tem 25 coautores- na última quinta.
Com relação aos subsídios, a lei prorrogaria por cinco anos dois programas de restituição de impostos a produtores de álcool de milho comum e manteria por três anos um reembolso à produção do álcool celulósico.
Os programas oferecem incentivos de US$ 0,45 por galão (3,7 litros) de álcool para mistura à gasolina; US$ 0,10 por galão para pequenos produtores; e US$ 1,01 por galão a produtores de álcool celulósico.
Já sobre a tarifa à importação, atualmente em US$ 0,54 por galão, o projeto quer estendê-la por mais cinco anos. Produtores brasileiros tinham a esperança de baixar a tarifa para US$ 0,45 por galão.
Os subsídios ao álcool misturado à gasolina e a pequenos produtores expiram em 2010, assim como a tarifa à importação. Já o subsídio ao álcool celulósico vai até 2012.
Segundo os deputados, se os programas acabassem, isso custaria 112 mil empregos na indústria do álcool.
"Sem a tarifa, contribuintes americanos vão permitir que álcool estrangeiro subsidiado substitua empresas e trabalhadores dos EUA", afirmou Tom Buis, diretor-executivo do grupo Growth Energy.
"É irônico que o Congresso permita a entrada de petróleo de países hostis, mas esteja tentando punir a energia limpa do Brasil, um antigo aliado democrático", afirmou Joel Velasco, representante da Unica (União da Indústria Brasileira de Cana-de-Açúcar) nos EUA.
Os EUA produzem 12 bilhões de galões de álcool de milho por ano. O Brasil é o segundo maior produtor mundial, com 6 bilhões de galões de álcool de cana de açúcar, segundo dados da Unica
.

Fonte:
Folha de S. Paulo

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário