Preço ao produtor de etanol deve se estabilizar ao redor de R$ 1,15

Publicado em 06/07/2011 08:05 189 exibições
Depois de atingir o piso de R$ 0,968 por litro na primeira quinzena de maio, os preços do etanol hidratado ao produtor devem se manter estabilizados ao redor de R$ 1,13/R$ 1,15 o litro, atual patamar, conforme fontes do setor. O diretor técnico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), Antonio de Padua Rodrigues, afirma que os preços do hidratado devem seguir mais estáveis nesta safra e sem grande volatilidade. "O mercado se ajustou mais rapidamente agora e chegamos a um patamar que parece ser de estabilidade", disse.

Segundo ele, os contratos futuros de etanol negociados na BM&FBovespa indicam maior estabilidade nas cotações até o final do ano. Padua disse que o consumo de etanol hidratado na bomba foi fraco em abril, mas subiu um pouco em maio, sem atingir a marca média histórica do setor de 1 bilhão de litros. Os dados de junho ainda não estão fechados, mas a expectativa é de que o consumo seja um pouco superior ao de maio, embora os preços do hidratado estejam em elevação desde a semana de 20 de maio.

Alísio Vaz, vice-presidente do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e Lubrificantes (Sindicom), acredita que o preço do hidratado encontrou um patamar para que seu consumo seja contido. "Em torno de R$ 1,15 por litro ao produtor, o consumo é limitado porque o etanol fica competitivo em relação à gasolina em poucas regiões", disse ele. Vaz afirma que o consumo de hidratado precisa ser contido para que mais anidro seja disponibilizado em todo o País, por isso ele acredita que as cotações não devem mais recuar abaixo do atual patamar.

O executivo afirma que entre as empresas associadas ao Sindicom o consumo de etanol hidratado em maio de 2011 foi de 496 milhões de litros, um volume 33,24% menor que os 743 milhões de litros registrados em igual período de 2010. A expectativa é de que o volume de junho seja um pouco superior ao de maio de 2011, mas ainda inferior ao registrado em igual período de 2010.

Reunião

Na próxima quinta-feira, 7, representantes da cadeia do etanol estarão em Brasília para mais uma reunião de acompanhamento da safra. "Não existe uma pauta específica para a reunião. Todos os assuntos relacionados à oferta e demanda serão discutidos e os números de acompanhamento serão mostrados", disse Vaz.

No mercado de açúcar e etanol circulam informações de que a safra de cana-de-açúcar do Centro-Sul poderá cair para um volume entre 520 a 540 milhões de toneladas ante a atual estimativa de 568,5 milhões de toneladas em função de fatores climáticos. O sentimento é de que, se esta previsão se concretizar, a oferta de etanol ficará ainda mais limitada e o governo poderá optar pela redução no anidro na gasolina.

Padua, da Unica, acredita que uma redução do anidro na gasolina não deverá ocorrer porque a economia de 1 litro de anidro na gasolina não corresponde a 1 litro de hidratado. "A conta não é essa", garante. Para ele, o fato de o mercado apontar para uma estabilidade de preços até o final da safra pode ser um guia para o setor produzir volumes equivalentes de etanol para abastecer o mercado.

Fonte:
Agência Estado

0 comentário