O que fazer para controlar o ataque da spodoptera, a lagarta do cartucho

Publicado em 28/11/2016 14:36 e atualizado em 28/11/2016 15:10
664 exibições
O que fazer para controlar o ataque da spodoptera, "lagarta do cartucho", na soja
Confira a entrevista de Naildo da Silva Lopes - Engenheiro Agrônomo

O ataque de lagartas nas lavouras de soja, especialmente no Mato Grosso, vem preocupando os produtores. As quatro espécies que normalmente atacam o milho e pastagens passaram a causar danos nas plantações de soja recém-implantadas da safra 2016/17.

"Em função de baixa umidade no solo, aumentou a incidência da lagarta nas lavouras de soja neste ano", explica o engenheiro agrônomo, Naildo da Silva Lopes.

Lopes, que também é delegado do Aprosoja MT, destaca que o controle da praga tem aumentando significativamente os custos de produção da safra 2016/17.

A tecnologia Intacta, que protege contra várias outras pragas, como a Helicoverpa armigera, não tem surtido efeito contra a lagarta spodoptera. Lopes lembra que a tecnologia custa em torno de R$ 115 por saca, adicionando custos para aplicação de outros defensivos [R$ 80/sc, aproximadamente], o produtor teria um gasto total de R$ 200 por saca no combate a lagarta.

"É preciso avaliar cada lavoura, e não realizar qualquer aplicação para não haver aumento de custos desnecessário", diz Lopes. Para o engenheiro, o MIP (Manejo Integrado de Pragas) é a maneira mais eficiente no controle das lagartas na soja.

Já em casos onde os danos são mais severos, é preciso observar o nível de população presente na lavoura para determinar o produto e quantidades de aplicações de defensivos.

Veja mais:

>> Alerta ao ataque de lagartas na soja recém plantada da safra 2016/17

Por: João Batista Olivi e Larissa Albuquerque
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário