Caravana tecnológica constata o avanço do agronegócio no Paraguai e participação dos brasileiros nessa história

Publicado em 04/01/2017 09:27 e atualizado em 04/01/2017 10:54
1318 exibições
Caravana tecnológica roda 400 km e visita áreas de soja em importantes regiões produtoras do país
Confira Reportagem Especial - Notícias Agrícolas

Quem pensa que os brasileiros só atravessam a fronteira do Paraguai para fazer compras em Ciudad del Este, está enganado. Para o agronegócio, o Paraguai também é um importante celeiro produtor que,ano após ano, só cresce em produtividade.

Nós percorremos 400 quilômetros pelos departamentos de Alto Paraná e Canindeyu e pudemos conhecer um pouco dessa realidade de perto. As paisagens impressionam e, nos últimos dez anos, a estrutura melhorou bastante no país. Quem investe por lá está muito contente com o resultado dos lavouras.

O produtor Adenir Schneider é fruto dessa história. Ele nasceu em solo paraguaio, após seus pais, brasileiros, terem ido buscar o sonho de cultivar a terra do país vizinho. Criado no meio da lavoura, ele conta que quem produz no Paraguai investe bastante - desde tecnologia em máquinas como também nas tecnologias no próprio plantio.

A migração dos brasileiros para o Paraguai em busca de terras começou há 51 anos. As terras são bastante próximas à geografia, topografia e fertilidade do oeste paranaense. A safra verão é, quase em totalidade, de soja, que é plantada entre os meses de setembro e outubro.

Nos últimos anos, uma melhoria na condição financeira, na tecnologia e na qualidade de informação que os produtores recebem no Paraguai têm saltado os olhos de quem conhece as lavouras do país. O produtor Carlos Airton Jacoby, mais conhecido como Airton, praticamente se criou no Paraguai: foi para o país aos nove anos de idade e continua o trabalho iniciado por seu pai com muito esforço e dedicação. Este ano, ele espera uma boa colheita, com uma produtividade de 60 sacas por hectare.

Ainda são muitos os desafios a serem desbravados no Paraguai, mas quem produz nessas terras não deixa nada para depois: sempre é hora de se atualizar. Agora, resta esperar para que algumas outras questões externas também venham fazer parte dessa história.

O clima tem ajudado e as perspectivas da safra do ano comercial 2016/2017 são as melhores possíveis. A estimativa é que haja uma produção de 10 a 11 milhões de toneladas de soja, com produtividades acima de 60 sacas por hectare. Pouco a pouco, o Paraguai escreve mais um capítulo de sua promissora história para a produção mundial.

Por: Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário