Cooperativa com frota mantém operações nas carnes, mas segue travada sem levar grãos para os portos e voltar com fertilizantes

Publicado em 13/06/2018 12:49
1707 exibições
A originação de aves e suínos e a distribuição das carnes seguem sem problemas, até pelas distâncias menores, mas sem pagar pelo aumento do frete dos autônomos, com o tabelamento, operações com grãos está parada e pode levar a prejuízos maiores com a soja passada que está armazenada e já vendida.
Irineu da Costa Rodrigues - Diretor e Presidente da LAR Cooperativa Agroindustrial

Com o impasse no tabelamento do frete, algumas cooperativas como a LAR Cooperativa Agroindustrial estão enfrentando problemas em várias de suas operações. Irineu da Costa Rodrigues, diretor e presidente da LAR, conversou com o Notícias Agrícolas nesta quarta-feira (13) e destacou que o movimento de caminhões nas estradas neste momento é pouco intenso.

Desta forma, a empresa opera com caminhões próprios e transportadoras, mas visualiza que os caminhoneiros autônomos estão parados. A LAR possui uma frota de 250 caminhões que estão rodando para frete curto, transportando produções de frangos, suínos e leitões.

Rodrigues visualiza que "não está clara a questão do frete. É muito onerosa. E a cooperativa não vai contratar um frete menor", destaca. Os caminhoneiros, por sua vez, querem receber a tabela cheia.

Há preocupação não somente no transporte daquilo que sai da cooperativa, mas também no recebimento de adubos. A LAR possui uma forte atuação no oeste do Paraná, no Mato Grosso do Sul e no Paraguai, com uma atuação modesta também em Santa Catarina. O presidente lembra que o Paraguai também sofre os efeitos da situação no que tange ao recebimento de insumos.

Por outro lado, o setor de aves também vem sofrendo com o embargo europeu e as ações antidumping da China, bem como o custo de produção segue oneroso por conta da alta dos grãos.

Por: Giovanni Lorenzon e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário