CONVERSA DE CERCA #54 - Narrativas superficiais e distorcidas ainda desconsideram importância do Código Florestal Brasileiro

Publicado em 25/05/2022 17:08 e atualizado em 07/07/2022 11:00
Conversa de Cerca - Com Carla Mendes
Entrevista com o ex-ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, marca os 10 anos do Código Florestal Brasileiro.

Podcast

 CONVERSA DE CERCA #54 - Narrativas superficiais e distorcidas ainda desconsideram importância do Código Florestal Brasileiro

Logotipo Notícias Agrícolas

Em entrevista ao Conversa de Cerca neste 25 de maio de 2022, data que comemora os 10 anos do Código Florestal Brasileiro, o ex-Ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles mostrou com o "jogo sujo" da comunicação mal feita, que distorce números e narrativas, ainda desconsidera a importância da legislação ambiental brasileira. São entraves judiciários, retóricos e ideológicos que ainda impedem que o Código seja efetivamente implementando em sua totalidade. 

Na sequência, veja o mini documentário do Notícias Agrícolas sobre os 10 anos do Código:

Tags:
Por:
Carla Mendes e Aleksander Horta
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

1 comentário

  • carlo meloni sao paulo - SP

    Apesar de muito elogiado o Codigo Florestal ainda conserva muitas imperfeçoes----A total

    exclusividade da flora nativa eu a considero uma estupidez dos botanicos---Existem muitas variedades exoticas bem superiores as nativas que poderiam ocupar parte do espaço e poderiam valer para a reserva legal----Eu lembro que Xico Graziano na epoca secretario do meio ambiente de Sao Paulo tentou implacar essa ideia mas nao conseguiu---Muitas coisas boas do Aldo Rabelo a Isabella Teixeira nao deixou implacar

    10
    • Caio Barrozo Belo Horizonte - MG

      A fauna nativa não sobrevive com flora exótica. Aliás, tudo depende da flora nativa: clima, relevo, temperatura, etc.

      9
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Caio eu duvido dessa sua afirmaçao ate que alguem comprove o fato----O açai e' exotico na regiao de Ribeirao Preto assim como a arvore da borracha, no entanto bem cuidadas e organizadas rendem financeiramente mais que na Amazonia---O meu receio e' que o Brasil seguindo as teorias dos ambientaloides vao levar na tarraqueta pelos expertos da Tailandia e outros povos sem frescuras

      16
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Alias pensando bem na Europa existem mais de 90% de florestas plantadas e a fauna continua nelas---

      9
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Alias lembrando as vezes que retornei para a Europa havia muitos veados no aviao indo pra la'

      15
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Caio agora fiquei nervoso, ,me mostre que o eucalipto sequestra menos CO2 e transpira menos humidade do que o mato nativo

      12
    • Caio Barrozo Belo Horizonte - MG

      Carlo Meloni, não sou perito no assunto, no entanto não é difícil comprovar o fato (que a fauna nativa depende da flora nativa) que é ensinado nas escolas brasileiras, basta pesquisar no Google. Sobre a questão do dióxido de carbono, sugiro que faça o mesmo.

      25
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Caio segui o seu conselho e encontrei um estudo comparativo da ARACRUZ muito scientifico que comprova que a retirada de agua do solo pela evaporaçao e' praticamente igual entre Eucaliptos e Mata Atlantica----Entao continua valida a minha pergunta :::PORQUE O EUCALIPTO NAO E" CONSIDERADO PELO CODIGO FLORESTAL IGUAL A MATA NATIVA EM TERMOS ECOLOGICOS ???

      12
    • Caio Barrozo Belo Horizonte - MG

      Amigo, vamos supor que um passarinho X coma um fruta típica da Mata Atlântica. Se essa fruta X for substituída por eucaliptos o passarinho passa a se alimentar de que maneira?

      10
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Sr. CAIO BARROSO, se me permite. Gostaria de dar uns pitacos na conversa.

      Em todo "meio", veja que coloco entre parênteses, pois odeio termos que são usados dois adjetivos para definir "algo".

      Por exemplo: Você poderia me explicar qual a diferença (cognitiva) do adjetivo "meio", para o termo de dois adjetivos "meio ambiente".

      Veja como somos induzidos a "tentar entender" ... No nosso intelecto existe o entendimento de "justiça". Agora me explique o quê a "justiça social" é diferente de "justiça".

      Mas, vamos ao busílis! ... Você usou o exemplo do passarinho X que come uma fruta típica da Mata Atlântica.

      Então, a Mata Atlântica é um "meio" que se encontra com um alto equilíbrio e, isso significa que ali existem várias espécies de vegetais e animais que vivem em harmonia.

      Ou seja, não existe qualquer animal que tenha uma dieta, onde sua alimentação depende de um único alimento. Como não existe um vegetal que retire do solo um único mineral. A diversidade das espécies, fornece o alimento "diverso" para aqueles seres que ali sobrevivem.

      Então, esse passarinho, provavelmente, não vai morrer pela falta da fruta X. Pois, a dieta dos pássaros, os insetos são a principal fonte dos nutrientes.

      Vejo que você é um assíduo leitor de trabalhos científicos e, um defensor da redução do gás carbônico (CO2).

      Recomendo que você pesquise sobre a maior devastação de espécies ocorridas no planeta. Segundo consta ela ocorreu há 2,3 bilhões passados e, segundo os cientistas a principal causa foi O EXCESSO DE OXIGÊNIO NA ATMOSFERA !!!

      Sim, senhores se estamos a debater sobre hipóteses e/ou teses. Essa TAMBÉM deve ser levada em conta !!!

      .... "E VAMOS EM FRENTE" ! ! ! ....

      13
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Senhores, vejam como o eufemismo é "lindo". Palavras softs trazem escondidos seus verdadeiros "maus".

      Segue um pequeno trecho de um artigo do Dr. Flavio Gordon, nesta data do jornal GAZETA DO POVO.

      SÃO PESSOAS QUE NOS ABREM OS OLHOS PARA "ENXERGAR" OS MALES DA HUMANIDADE !!!

      Em seu livro The Moment of Lift: How Empowering Women Changes the World, Melinda Gates chega a sugerir que controle da natalidade equivale a controle da pobreza, e que, se as mulheres ocidentais são mais "empoderadas" que as africanas, por exemplo, isso se deve ao maior acesso a métodos contraceptivos e abortivos. Daí que a senhora Gates tenha empenhado US$ 5 bilhões para tornar as mulheres africanas menos férteis, menos restritas e mais "liberadas", oferta que a ativista nigeriana pró-vida Obianuju Ekeocha, em memorável carta-resposta, recusou gentilmente, sob o argumento de que, para a imensa maioria das mulheres africanas, os bebês são recebidos como uma dádiva divina.

      "Com sua incrível riqueza" – escreveu Ekeocha –, "Melinda quer substituir o legado de uma mulher africana (que são os seus filhos) pelo legado do ‘sexo livre’". E disse mais: "Vejo esses US$ 5 bilhões nos trazendo miséria. Vejo-os trazendo-nos maridos infiéis. Vejo-os trazendo-nos ruas vazias e carentes do inocente tagarelar das crianças. Vejo-os trazendo-nos doença e, por fim, a morte. Vejo-os nos dando uma aposentadoria privada do amor terno e do cuidado dos nossos filhos".

      Eis aí um belo alerta, infelizmente inaudível aos ouvidos neomalthusianos de uma gente arrogante para quem o objetivo propalado de acabar com a pobreza passa necessariamente pelo controle reprodutivo dos pobres.

      10
    • Caio Barrozo Belo Horizonte - MG

      Bom dia, Paulo Roberto Rensi. Pesquisei um pouco sobre o excesso de oxigênio na atmosfera. Foi há dois bilhões de anos atrás, nessa época a atmosfera e o ecossistema não eram nem um pouco parecidos com o que temos hoje. Atualmente, o dióxido de carbono causa o aquecimento global, que muda a temperatura do planeta e os ecossistemas nos biomas. Sobre o passarinho X que come outras frutas, ele realmente poderia, se a planta que ele come também não estivesse extinta. Acho muito pouco viável desmatar a pouca floresta nativa que sobrou da Mata Atlântica para plantar florestas exóticas como arvores de Eucalipto. Pra ser sincero, não sei o porquê de querer mudar o Código (o de deixar 20% da mata original), se o proprietário quiser, pode plantar nos 80% que é permitido desmatar. Por fim, achei muito bonita a sua citação, senhor Paulo.

      6
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Sr CAIO BARROZO bom dia---Acho essa discussão muito útil para esclarecer conceitos matematicamente errados----Portanto não estamos falando de opiniões --- Muita gente deve ter na cabeça que o governo retirou 20% da área produtiva das propriedades agrícolas---E' isso que está na sua cabeça mas esta é uma mentira----A primeira injustiça que o Código Florestal cometeu foi estabelecer uma data: quem desmatou antes desmatou e quem não desmatou não desmata mais----Ou seja para mim quem cometeu o crime está perdoado e quem foi honesto deve ficar castigado-----Só que nessa jogada o governo esperto e malandro se aproveitou para desapropriar mais área---VOU LHE EXPLICAR----terminado o CAR a Embrapa Solo veio a público informando que as propriedades agrícolas estavam com 35% de VEGETAÇAO NATIVA---Se aqueles agricultores que haviam desmatados área em excesso e foram perdoados estivessem sendo compensados por aqueles que não haviam desmatados a Embrapa teria encontrado 20%----Mas ela não encontrou 20% encontrou 35%, por isso o governo se valeu dessa jogada para afanar mais 15%---Também nos dois temos mais uma divergência-----Eu concordo que o Brasil precisa ter matas para equilibrar as adversidades do clima só que essas matas devem ser reservadas para o clima e não para os passarinhos----Porque 70% do Brasil para os passarinhos e' muita coisa e acho que com a miséria que o Brasil tem, pensar em passarinhos e' um devaneio intelectualoide--

      11
    • Caio Barrozo Belo Horizonte - MG

      Senhor Carlo Meloni, o passarinho foi um exemplo de fauna, caso não tenha percebido. Sobre a questão da miséria, não vejo como tirar a mata nativa (que foi sua pauta) ajudaria nisso. Com certeza o prejuízos para o mundo seria muito mais significantes que os benefícios financeiros. Quer tirar o Brasil da miséria? Cobre nossos governantes em relação às medidas de subsídio ao produtor rural, medidas de longo prazo e diminuição de impostos para pequenas empresas. Afinal, ficar reclamando e não agir, é um devaneio intelectualóide e tanto.

      6
    • Cristiano Meloni sao paulo - SP

      Não, não quero tirar nem mata Atlântica nem mata Amazônica,, eu só quero que seja autorizada a substituição de mata que não dá dinheiro com mata que da dinheiro--- simples assim

      11
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Sr. CAIO, no meu comentário tentei demonstrar que discutir causas pontuais é levar o debate na lama.

      Sabe-se que as relações biológicas que existem na natureza são infinitas e, o espécime Homo sapiens é uma das últimas espécies a aparecer no sistema (perto de 1 a 2 milhões de anos). Sendo que a "dita" ciência é um corredor de infinitas portas. Acho que abrimos poucas delas desde que o homem começou a pesquisar e difundir os conhecimentos.

      Ou seja, estamos começando a caminhar.

      Sabe-se que toda a nossa realidade que enxergamos no Universo são míseros 5%. Os outros 95% que NADA sabemos são chamados de Matéria Escura (20%) e Energia Escura (75%).

      Será que chegaremos lá? Ou seja, conseguirmos desvendar esses 95% de "SEGREDOS" a serem desvendados.

      No meu modo matuto de "enxergar", vejo que o primeiro passo é o espécime humano, deva retroagir a sua infância e, exercitar mais o altruísmo.

      Que é: SE COLOCAR NO LUGAR DO OUTRO !!!

      Tomo como exemplo essa realidade: Em toda cidade existem enchentes constantes, não é?

      POR ACASO VOCÊ TEVE NOTÍCIA QUE ALAGOU ALGUMA CASA DE RICO ?

      Ou seja, as áreas de "baixada" só servem para construir casas de pessoas que não têm o entendimento que ele vai sofrer pela sua ignorância. Com um detalhe, as pessoas esclarecidas sabem que vão ocorrer "POBREMAS" !!! ... MAS NÃO É COM ELES, NÃO É ???

      5
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Sr. CAIO, desculpe-me. Mas, essa narrativa: "Atualmente, o dióxido de carbono causa o aquecimento global, que muda a temperatura do planeta e os ecossistemas nos biomas". Como o senhor escreveu.

      Tem gente que acredita e defende como se isso fosse o "Santo Graal" para salvar o planeta.

      Mas, vamos ao busílis: Sabe-se que o planeta Terra tem sua área superficial tomada por "SETENTA POR CENTO DE ÁGUA & TRINTA POR CENTO DE TERRA", correto?

      Então, nessa superfície de "águas" vivem microrganismos que promovem a "dita" fotossíntese. Ou seja, capturam gás carbônico e liberam oxigênio no ar.

      Segundo trabalhos científicos, essa fábrica de "oxigênio" é responsável por mais de CINQUENTA POR CENTO da liberação de oxigênio do planeta.

      Quanto aos danos causados pelos humanos, eles existem e devem ser minimizados.

      Agora, pegando o "gancho" do último parágrafo; se isto é verdade, fica a pergunta que não quer calar: Onde existe o maior número de pessoas, no campo ou na cidade?

      Veja que o "pobrema" está nas áreas urbanas e, nos continentes de maior densidade populacional. Tipo, o continente asiático representa 30% da área de terra do planeta e concentra 70% da população mundial.

      Mas, a China (que é um dos países asiáticos) não sofre ataques da mídia internacional de que estão estragando o "meio ambiente" (ARGH!). Veja que essa doutrina de "pulmão do mundo" tem outros intere$$e$ envolvidos e, que não mostram a verdadeira intenção.

      O Brasil viveu décadas sob o domínio de governos socialistas corruptos, que estavam se lixando para a política externa brasileira, deixando o país numa condição de "capacho" e, nesses últimos quatro anos; o pouco que se conseguiu "consertar", está mostrando ao mundo qual vai ser nossa importância no mundo.

      CELEIRO DO MUNDO !!! ... Com um detalhe... O PAÍS QUE MAIS PRESERVA SEUS RECURSOS NATURAIS !!!

      5
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      EM TEMPO ... ONDE CITEI: ...está mostrando ao mundo qual vai ser nossa importância no mundo.

      O CORRETO É: ... está mostrando ao mundo qual É nossa importância no mundo.

      5