Área plantada de algodão cresce 26% na Bahia e produtividade deve ser 15% maior do que safra passada

Publicado em 15/02/2019 11:10 e atualizado em 15/02/2019 15:14
296 exibições
Estado plantou 332 mil hectares entre 20 de novembro e meados de dezembro. Mesmo com a falta de chuvas em janeiro, produtores baianos esperam colher 1,5 milhões de toneladas entre caroço e pluma, 15% a mais do que o recorde registrado na última safra.
Júlio Cézar Busato - Presidente da ABAPA

Podcast

Entrevista com Júlio Cézar Busato - Presidente da ABAPA sobre o Acompanhamento Safra de Algodão

Download

LOGO nalogo

Os bons resultados financeiros que a cultura do algodão alcançou na safra 2017/18 levou os produtores baianos a investirem mais nesta atual safra. Com isso, a área plantada no estado chegou a 332 mil hectares, um aumento de 26% com relação ao último ano.

Os produtores, que realizaram todo o plantio entre 20 de novembro e meados de dezembro, esperam um incremento de 15% na produção geral do estado, o que levaria a Bahia ao patamar das 1,5 milhões de toneladas entre caroço e pluma, e uma produtividade na casa das [email protected] por hectare.

“Tivemos um veranico bastante intenso em janeiro que prejudicou bastante a cultura da soja, mas a cultura do algodão, por estar em seu estágio inicial e por ser mais resistente, acreditamos que não houve perdas e a cultura ainda pode exercer todo o seu potencial produtivo”, diz Júlio Cézar Busato, presidente da Abapa (Associação Baiana dos Produtores de Algodão).

Com os preços praticados no mercado e as boas perspectivas de demanda internacional, os produtores de algodão não encontram dificuldades para obterem lucro na atividade e nem para vender a totalidade de suas produções. “O mercado internacional, pelo terceiro ano consecutivo, vem consumindo mais algodão do que o mundo produz. Isso é muito importante para o Brasil, que hoje já é o segundo maior exportador de algodão do mundo”, comenta Busato.

Confira a entrevista na íntegra no vídeo.

Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário