Boi: Pecuaristas podem garantir margens melhores com sinais de valores menores nos animais de reposição

Publicado em 30/06/2015 10:10
Boi Gordo: Pressão sobre as cotações se concentra mais nas praças paulistas neste início de semana, onde a referência é de R$ 146,50/@ à vista. Nas demais regiões, a oferta ainda limitada de animais trava os negócios com as indústrias tentando ofertar preços menores. Pecuaristas podem garantir margens melhores com sinais de valores menores nos animais de reposição.

Nesta terça-feira (30) os negócios com a arroba do boi gordo acontecem com menor pressão após os frigoríficos ajustarem os abater e tentarem uma redução no preço da arroba. Em São Paulo a cotação é de R$ 146,00/@ a vista.

Nas últimas semanas poucos negócios aconteceram por conta da resistência dos pecuaristas em entregaram seus animais em menores preços. Segundo a analista de mercado da Scot Consultora, Maísa Módola Vicentim, "a oferta restrita foi o que limitou as baixas", e com isso as escalas de abate voltaram a recuar. Em São Paulo, as programações de abate atendem em média 4 dias úteis.

A demanda enfraquecida também tem sido fator importante para o ajuste dos abates. Porém, o anúncio do Ministério da Agricultura (Mapa) que o governo dos Estados Unidos liberou a compra de carne bovina in natura de 13 Estados brasileiros e do Distrito Federal pode trazer novo fôlego ao mercado.

Segundo a Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Bovina (Abiec), a exportação de carne bovina pode acontecer a partir do mês de setembro. Módolo lembra, que as projeções para as exportações nesse ano eram recorde, "mas não foi isso que aconteceu, principalmente pelo recuo das compras da Rússia e Venezuela".

 

Reposição

De acordo com levantamento da Scot, os preços dos animais de reposição apresentaram a segunda queda em um mês na média de país. O boi magro foi à categoria com a maior queda de preços, recuo de 0,4%.

"Isso é uma pressão por parte da oferta e da demanda. Não temos uma oferta elevada, o que não justificaria uma queda de preço, por outro lado os pecuaristas acabam recuando nas comprar das reposições então isso fez com que os preços caíssem", explica Módolo.

Tags:
Por:
Carla Mendes e Larissa Albuquerque
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário