Com fechamento de plantas, frigoríficos tentam se readequar à realidade de mercado, com oferta curta de animais e demanda fraca por carne

Publicado em 07/07/2015 12:14
Com fechamento de plantas e férias coletivas , frigoríficos tentam se readequar à realidade de mercado, diante de oferta curta de animais e demanda fraca por carne

A demanda enfraquecida tem provocado uma pressão sobre a arroba do boi gordo. Os frigoríficos estão ajustando seus abates, fechando plantas, ou reduzindo a capacidade de operação para se adequar ao cenário de pouco consumo.

A demanda externa também tem ficado abaixo das expectativas. Segundo Caio Toledo Godoy, analista da XP Investimento, estimava-se para a primeira semana de julho uma média de  19 a 20 milhões de toneladas de carne ‘in natura’ embarcada, porém a Secretaria de Comércio Exterior (Secex) informou em seu ultimo levantamento que na média dos 3 primeiros dias úteis do mês, a exportação foram de 13,2 milhões de toneladas.  E "se comparado ano contra ano, a exportação também está em queda, e o projetado para o mês de julho também é de baixa", afirma Godoy.

Com a demanda interna e externa enfraquecida, os frigoríficos ajustam seus abates e ofertam menos preços na arroba do boi gordo. Em São Paulo, os negócios acontecem a R$ 145,00/@ à vista, mas as indústrias de maior porte pressionam até R$ 4,00 abaixo da referência.

"Os frigoríficos menores devem sofrer um pouco mais, e os frigoríficos maiores vão tentar se readequar a nova realidade do mercado interno e externo", afirma Godoy.  Diante desse cenário, a expectativa é de estabilidade dos preços no curto prazo, haja vista que a oferta de animais ainda é restrita.

Tags:
Por:
Aleksander Horta e Larissa Albuquerque
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário