Mercado pecuário sem perspectivas de mudanças para o resto de 2016 e com previsão de aumento na oferta de animais para 2017

Publicado em 29/11/2016 11:16 e atualizado em 29/11/2016 13:23
381 exibições
Em 2017 deve iniciar ciclo de baixa para a pecuária e recuperação da demanda por carne vai ser determinante para evitar recuos significativos nas cotações da arroba
Confira a entrevista de Alex Santos Lopes - Analista da Scot Consultoria

Podcast

Mercado sem perspectivas de mudanças para o resto de 2016 e com previsão de aumento de oferta de animais para 2017

Download

Contrariando as expectativas para o final do ano, o mercado do boi gordo opera com viés de baixa na última semana de novembro.

Em São Paulo, embora a média permaneça em R$ 150/@ a vista e R$ 152/@ a prazo, intensificou-se nos últimos dias tentativas de ofertas abaixo da referência. Cenário esse que, do mesmo modo, se estende a outras praças de comercialização no país.

De acordo com o analista da Scot Consultoria, Alex Santos Lopes, indústrias que possuem maior volume de animais a termo chegam a ofertar até R$ 3 reais abaixo do patamar médio. Já frigoríficos que operam no mercado spot ainda tem a necessidade de negociar dentro da referência para efetivar a compra dos animais.

Para Lopes, a "demanda está muito abaixo do esperado para o período do ano, e as quedas nos preços da carne, no atacado, indicam isso". No mercado atacadista de São Paulo o boi casado de animais castrados tem sido negociado a R$ 9,63/kg, queda de 0,7% frente ao início do mês.

Diante da dificuldade na evolução da demanda, o analista afirma que o "o cenário para o final do ano está praticamente traçado". Não são descartadas, porém, altas pontuais a depender de movimentos específicos da demanda, daqui até o final de dezembro.

2017

Em 2017 a tendência é de continuidade no cenário econômico do país, refletindo na dificuldade de escoamento na produção de carne bovina.

Os indicadores econômicos indicam que a recuperação mais efetiva do país só deve ocorrer no segundo semestre do ano que vem. Assim, a carne bovina - que tem uma elasticidade de renda significativa -, ainda deve sentir efeitos da recessão na demanda interna.

Do mesmo modo, Lopes, ressalta o ciclo pecuário como potencializador da oferta de animais em 2017. "No entanto, tudo vai depender de como reagirá à demanda", diz Lopes.

"Considerando que são dois fatores ainda muito incertos, a orientação é para que os pecuaristas entrem em 2017 com muita cautela", acrescenta. A expectativa é de que a arroba varie próximo à inflação, especialmente no primeiro trimestre do ano.

Por: Aleksander Horta e Larissa Albuquerque
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário