Preços da carne bovina registram melhora na semana, mas alta não chega à arroba

Publicado em 01/12/2016 12:17
403 exibições
Para o início de 2017 a expectativa é de queda nos preços da arroba com elevação de oferta e demanda por carnes ainda fraca. Porém, analista fala de margens positivas para pecuaristas
Confira a entrevista de Caio Toledo Godoy - FCStone

Os preços da carne bovina no atacado registraram ligeira melhora nesta semana, no entanto, essas altas não foram refletidas no preço da arroba até o momento.

Para o analista da FCStone, Caio Toledo Godoy, o "esboço de reação da carne é em função dos estoques exutos e, não por melhora na demanda", diz. Além disso, o especialista considera que a principio as altas não devem mesmo ter reflexo nos preços da arroba.

"É uma estratégia dos frigoríficos reduzir os abates para conseguir margens. Outro ponto importante nesse cenário, é o fato das indústrias estarem bem escaladas", explica.

Segundo ele, frigoríficos maiores estão com escalas preenchidas de aproximadamente 15 dias. Enquanto pequenos, tem programação atendida superior a uma semana. Portanto, neste momento a necessidade de compra boiadas está pequena, e tem limitado os preços da matéria prima em boa parte do país.

O analista também destaca a possibilidade da oferta que sazonalmente é destinada as indústrias de grande porte, ser voltada aos frigoríficos de médio e pequeno, já que as escalas alongadas dos grandes reduz a necessidade de compra e faz sobrar oferta disponível há ser negociada com pequenos. Assim, essa conjuntura pode refletir "na redução de preço no balcão" nos próximos dias, caso a demanda não apresente reação, alerta Godoy.

"Considerando todos esses fatores, acredito que teremos mais possibilidade de um final de ano baixista do que com viés de alta", afirma o analista.

2017

Para o próximo ano, ou pelo menos no primeiro trimestre dele, é esperado aumento na oferta de animais, e uma demanda ainda patinando.

Após o novo resultado negativo do PIB brasileiro, economistas preveem que a recessão econômica permanecerá em 2017. Os primeiros dados disponíveis mostram que a atividade estava em queda em outubro, sinalizando um quarto trimestre pior que o projetado.

Dessa forma, a retomada da demanda por carne bovina só deve demonstrar alguma melhora no segundo semestre do próximo ano, acredita Godoy.

Para ele, a arroba bovina no primeiro semestre de 2017 deve variar próximo de R$ 145, porém, "cabe destacar que preço para baixo não significa margens negativas".

O indicativo de que o mercado de grãos também estará mais frio no ano que vem, assim como os preços das reposições, pode dar margens melhores aos pecuaristas, mesmo com o recuo dos preços no balcão.

Por:
Aleksander Horta e Larissa Albuquerque
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário