Em compasso de espera , frigoríficos aguardam volta da demanda neste início de mês para definir ritmo das novas compras

Publicado em 01/02/2017 12:32 e atualizado em 01/02/2017 13:05
435 exibições
Em compasso de espera , frigoríficos aguardam volta da demanda neste início de mês para definir ritmo das novas compras
Confira a entrevista de Caio Toledo Godoy - FCStone

Podcast

Em compasso de espera , frigoríficos aguardam volta da demanda neste início de mês para definir ritmo das novas compras

Download

Sem definição de como será o comportamento da demanda nos próximos dias, os frigoríficos reduzem as compras e tentar pressionar as cotações.

Em São Paulo, o preço de balcão está em R$ 146/@, mas poucos negócios são efetivados nesses patamares, já que os "pecuaristas também estão retraídos na esperada do comportamento das indústrias", diz o analista da FCSTone, Caio Toledo Godoy.

Além disso, temos uma crescente disponibilidade de oferta a pasto neste período que colabora com a pressão baixista. "Por outro lado, o analista lembra que estamos no período das águas, o que dá mais controle aos pecuaristas na questão das vendas", diz.

Para o analista, a definição dos preços da arroba nas próximas semanas será balizada pelo ritmo das vendas de carne no mercado interno.

Assim, será importante acompanhar o desempenho do atacado e varejo ao longo dos próximos dias. Período no qual o recebimento dos salários aquece o consumo de carnes.

Mercado futuro

Ao contrário do spot, o mercado futuro do boi gordo opera em alta nesta quarta-feira (01). O contrato maio/17 negociado na BM&F está em R$ 141,80/@, alta de 0,42%.

Segundo Godoy, essa valorização é reflexo do descolamento entre o físico e futuro que ocorreu nos últimos dias. "Chegamos a ver uma diferença de R$ 6/@ nesses mercados, mas os players começaram perceber que esse ágio negativo da BM&F era muito alto, por isso a correção que não indica necessariamente uma mudança de cenário no boi gordo", explica.

Por: Aleksander Horta e Larissa Albuquerque
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário