Oferta de 2º giro de confinamento foi suficiente para alongar escalas de abate em SP e pressionar cotações da arroba em novembro

Publicado em 21/11/2018 14:06 e atualizado em 21/11/2018 15:53
778 exibições
Chegada antecipada de animais a pasto pode frustrar expectativa de vazio de oferta, mas facilidade para gerenciar comercialização deve reduzir concentração de oferta e pressão nos preços da arroba
Caio Junqueira - Analista de Mercado da Cross Investimentos

Podcast

Entrevista com Caio Junqueira - Analista de Mercado da Cross Investimentos sobre o Mercado do Boi Gordo

Download

LOGO nalogo

No estado de São Paulo, a oferta do segundo giro de confinamento foi suficiente para alongar as escalas de abate e pressionar as cotações em Novembro. Com as chuvas antecipadas e com bons volumes, a expectativa é de ter uma safra boa de animais de pasto.

De acordo com o analista de mercado da Cross Investimentos, Caio Junqueira, as projeções indicavam que as ofertas iriam cessar ao longo de novembro, mas não é isso que está acontecendo. “Nós viemos de uma oferta tão grande após a finalização do confinamento em outubro e as indústrias frigoríficas estavam com a programação de abate muito longa”, afirma.

O mercado em São Paulo começou a sofrer com os sucessivos recuos nas referências no início de novembro. “O mesmo efeito que observamos no começo de outubro aconteceu neste mês. Então, as negociações estão sendo feitas com uma sobra de tempo e esse animal está previamente escalado para abate no início de dezembro”, comenta.

Até o momento, as negociações no estado de São Paulo estão ao redor de R$ 148,00/@ a vista e a prazo está próximo de R$ 147,00/@ para trinta dias em que os valores praticados estão muito próximos do Mato Grosso do Sul. “Se voltarmos um pouco atrás, vamos lembrar que o Mato Grosso do Sul chegou a negociar boi com diferencial de base de São Paulo de R$ 15,00”, destaca.

O procedimento que os pecuaristas do Mato Grosso do Sul utilizaram foi de acabar com os estoques, na qual iria resultar em um efeito em curto prazo. “Então, essas vacas que vieram no primeiro semestre deixam de vir no segundo, como no caso do Mato Grosso do Sul e faz com que diminua ao extremo a oferta de boi pronto na localidade”, ressalta.

Por: Aleksander Horta e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Carlos Frederico Magalhães Cerqueira Uberlândia - MG

    Nunca li tanta e tamanha manipulação descarada!!! As chuvas iniciaram mais cedo e justamente o volume de água e baixa luminosidade reduzem a capacidade de estabelecimento do perfil forrageiro..., pelo amor de Deus gente, onde está o bom senso?... onde boi que vem da seca se recupera em 30 dias de brotação de capim!!! Vamos forçar menos a barra, pessoal. Vocês, analistas, precisam ir a campo e sentir a realidade e dai sim saírem por aí com suas bolas de cristal preconizando ou inferindo alguma coisa. Chega de inferência e empirismo. Por favor! Se não ajuda não atrapalha também.

    2
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      Calma Sr. Carlos... Às vezes as palavras, ou escritos, não são o que ocorre na realidade física.... ... Você já ouviu falar em "metafísica", pois é "metafisicar" é uma prática constante na atualidade...

      0