Entenda os fundamentos que podem fazer a arroba do boi chegar a R$ 200,00 nos próximos anos

Publicado em 23/10/2019 13:15 e atualizado em 24/10/2019 10:08
11420 exibições
Ciclo de baixa iniciando, ampliação das exportações com China e novos compradores, retomada da economia e do consumo interno e preço ainda competitivo em relação aos nossos concorrentes na América do Sul são alguns pontos que justificam mudança de patamar das cotações do boi
Ricardo Viacava - Diretor da CV Nelore Mocho

Podcast

Entenda os fundamentos que podem fazer a arroba do boi chegar a R$200,00 nos próximos anos

Download

LOGO nalogo

A expectativa é que arroba alcance os patamares de R$ 200,00 para os próximos anos, mas para esse cenário de preços se confirmarem é preciso ter um crescimento da demanda interna e  atingindo mercados que pagam melhor pela a carne. Diante disso, os pecuaristas devem aproveitar para investir em genética, manejo e nutrição para produzir uma carne de qualidade.

Segundo o Diretor da CV Nelore Mocho, Ricardo Viacava, tem boas perspectivas chegando para o setor da pecuária. “Nós estamos vivendo aquele ciclo de baixa no mercado, pois houve um grande abate de matrizes e a cria valorizada. Nós estamos no final da entressafra e as chuvas estão demorando a chegar a nossa região e não tem oferta de forragens”, comenta.

As escalas de abate curtas é que estão sustentando esses preços para o boi, já que estamos vendo o boi com destino a exportação com preços ao redor de R$ 170,00/@, à vista. No mercado interno, as referências estão próximas de R$ 165,00/@, à vista em São Paulo. “O Brasil está ganhando mercado e podemos ampliar com o fim da vacinação da febre aftosa no Paraná e o aumento das exportações para a China”, afirma.

Viacava destaca que a carne bovina brasileira é mais barata do que os países concorrentes no mercado internacional. “No Paraguai, a arroba está nos patamares de R$ 200,00. Em compensação, os preços futuros no brasil para começo de 2020 estão firme no R$ 175,00/@”, ressalta.

Antes da epidemia de peste suína africana se alastrar pela a Ásia, o mercado chinês tinha acesso a carne bovina através de Hong Kong. “Nós últimos três meses triplicou o número de plantas frigoríficas habilitadas a exportar carne bovina. Acho que temos muito mercado para ganhar na China”, aponta.  

Por: Aleksander Horta e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário