Arroba do boi se acomoda e aguarda pela recuperação nos preços da carne antes de novas altas. Mercado internacional recuperou apenas parte das perdas

Publicado em 21/01/2022 12:28 e atualizado em 21/01/2022 16:57 2081 exibições
César de Castro Alves - Consultor de Agronegócio do Itaú BBA
Cotação da carne brasileira no mercado internacional já recuperou US$350,00 dos mais de US$1000,00 por tonelada perdidos entre setembro e dezembro do ano passado

Podcast

Entrevista com César de Castro Alves - Consultor de Agronegócio do Itaú BBA sobre o Mercado do Boi Gordo

Logotipo Notícias Agrícolas 

As referências para arroba bovina estão se acomodando e acompanhando a recuperação da carne bovina no atacado. Segundo as informações do  Itaú BBA, a oferta restrita de animais disponíveis no mercado também deve contribuir para a sustentação dos preços da arroba no mercado físico. 

De acordo com o Consultor de Agronegócio do Itaú BBA, César de Castro Alves, “As referências do dianteiro recuaram muito por conta do embargo da China à carne bovina brasileira, mas estão se recuperando. Enquanto, o traseiro teve uma valorização expressiva diante das festas de final de ano e está se acomodando”, informou. 

O analista explica que pode ter um período de descarte maior de animais a partir de março, principalmente na região sul. “Na região sul, a seca é muito complicada e podemos ter possíveis problemas e que os pecuaristas tenham que descartar maiores volumes de animais neste período”, disse ao Notícias Agrícolas. 

Com a volta da China aos embarques, o faturamento das exportações de carne bovina se recuperaram US $350,00 por tonelada, frente ao que foi perdido de US $1.000 entre os meses de setembro a dezembro. “Além dos volumes terem recuado durante aqueles meses, nós tivemos uma queda muito forte nas referências do produto brasileiro”, comentou.  

O spread dos frigoríficos está mais ajustado neste início do ano frente ao mês de julho e agosto do ano passado, em que os preços da carne estavam elevados e o boi está estável. “Até setembro o spread era melhor já que a carne estava mais valorizada e o boi não estava nos patamares atuais. A cotação da arroba sofreu ajuste no início deste ano, mas a carne não teve o mesmo movimento”, relatou. 

Por:
Aleksander Horta e Andressa Simão
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário