Safra de café na região da Coopinhal tem bons volumes mas qualidade comprometida por chuvas. Produção de CD cai pela metade

Publicado em 27/09/2016 13:08 e atualizado em 27/09/2016 15:14
334 exibições
O volume de Cereja Descascado que tradicionalmente gira entre 30 e 40% da produção , nesta safra representa apenas 15% do total produzido

Os cafeicultores na região da Mogiana devem encerrar a colheita da safra 2016/17 nos próximos dias, e as perspectivas de boa produção vêm se confirmando.

De acordo com o engenheiro agrônomo da Coopinhal, Celso Scanavachi, nos aproximadamente 30 mil hectares que compreende a abrangência da cooperativa, a produção neste ano devem ficar entre 80 mil a 120 mil sacas beneficiadas.

Segundo ele "o rendimento dos grãos foi bastante satisfatório e o peso tem surpreendendo". No entanto, as chuvas no período mais intenso da colheita acabaram prejudicando a qualidade da bebida.

"Tivemos muita derriça que resultou em um grande volume de café de varrição", acrescenta. Além disso, as precipitações neste ano também aceleraram o processo de maturação do grão, reduzindo o percentual de cereja descascado.

Para o engenheiro agrônomo a produção de cereja dos cooperados deve cair de 30% para 15% nesta temporada. E a qualidade inferior também reflete diretamente no preço de comercialização.

Em contrapartida, a quebra na safra do conilon [em consequência da seca especialmente no Espírito Santo] abriu espaço para o mercado do arábica. Scanavachi ressalta que o ágio entre as bebidas de maior e menor qualidade tem sido menor neste ano.

"Aqueles que conseguiram segurar um pouco de café fino, esses vão terão um patamar de preço melhor, porque temos visto o mercado reagindo", acrescenta Scanavachi.

Safra 2017/18

Neste ano, os cafezais sofreram com chuvas e o frio mais intenso que acabaram ocasionando a desfolha das plantas. "Nessas áreas ocorre um grande volume de esqueletamento que refletirá na redução do parque cafeeiro", afirma o engenheiro agrônomo. Segundo ele, cerca de 20% dos cafezais precisaram ser recepado.

Agora os cafeicultores esperam chuvas generalizadas para que a florada ocorra uniformemente. Contudo, as previsões climáticas indicam chuvas regulares na região somente em novembro, cenário que poderá comprometer ainda mais a próxima safra.

Além disso, a ausência de precipitações também prejudica as folhadas antecipadas que ocorreram em agosto e inicio de setembro.

Por Aleksander Horta e Larissa Albuquerque
Fonte Notícias Agrícolas

Nenhum comentário