Apesar das baixas, cenário ainda é positivo para o mercado do café e preços devem voltar a subir nos próximos dias

Publicado em 18/02/2020 16:17
845 exibições
Para analista, mercado tende a respeitar os patamares de preço e não deve ficar abaixo dos 100 cents/lbp novamente; quedas dessa terça-feira teriam sido motivadas pelo Coronavírus
João Santaella - Analista de Mercado

Podcast

Entrevista com João Santaella - Analista de Mercado sobre o Mercado do café

Download

LOGO nalogo

O mercado futuro do café arábica encerrou a sessão desta terça-feira (18) com baixas expressivas na Bolsa de Nova York (ICE Future US). Apesar da sessão encerrar com baixas, gráficos apontam que o cenário ainda tende a ser positivo como as sessões de quinta e sexta-feira passada. 

Segundo o analista de mercado João Santaella, as baixas desta terça-feira foram motivadas por diversos fatores, entre eles a queda do petróleo motivado ainda pelo surto do Coronavírus na China. "Os fundos de investimentos trabalham realmente juntos e o petróleo acabou caindo e acho que o café acompanhou em função disso", afirma o analista. 

Apesar do mercado acreditar que o consumo na China não deve impactar de maneira expressiva o nível mundial de consumo de café, o analista acredita que o mercado tende a acompanhar as outras commodities, diante da aversão ao risco que sonda o mercado desde que os casos da doença começaram a ser divulgados. "Geralmente quando o mercado cai assim em um dia, o fundo aproveita para vender", destaca. 

Outro ponto para as quedas, seria o câmbio que registrou altas para o dólar e a movimentação tende a aumentar exportações e derrubar os preços do café no Brasil. O Brasil é o maior produtor e exportador de café do mundo.

De acordo com o analista, o mercado tende a continuar com movimentações positivas, não devendo retomar aos patamares abaixo de 100 cents/lbp a curto prazo. "Por enquanto a tendência é mais de realização de lucros. Se ele continuar subindo o mercado pode voltar aos patamares que vimos no ano passado", afirma.

Veja a entrevista completa no vídeo acima

 

Fonte:
Virgínia Alves

0 comentário