Cotações do suíno vivo tem mais um recuo no RS e se aproximam do custo de produção

Publicado em 03/02/2015 13:30 e atualizado em 25/10/2017 15:55
187 exibições
Cotações do suíno vivo tem mais um recuo no RS e se aproximam do custo de produção

A pressão sobre os preços no quilo dos suínos faz com que haja uma queda de R$ 0,30 a R$ 0,40 por semana no Rio Grande do Sul. Atualmente, o preço do quilo do suíno vivo é de R$ 3,23. Em comparação com o mesmo período de 2014, quando o preço era de R$ 3,64, a redução é de 11,2%.

“A negociação tem sido bastante pesada. Na nossa avaliação essa pressão sobre os preços está sendo, de certa forma, um pouco exagerada por parte dos frigoríficos. Sabemos que tem toda a dificuldade de comercialização, a exportação é travada no mês de janeiro, mas acreditamos que não seria necessária essa pressão tão forte. Isso porque as indústrias fecharam o mês de dezembro praticamente com os estoques zerados, tudo o que tinha nos estoques das agroindústrias foi comercializado”, analisa Valdecir Folador, presidente da ACSURS.

 Segundo Folador, a oferta de suínos está extremamente ajustada, da mesma forma que fechou 2014. Não tem grande aumento de produção e não há animais sobrando no campo. A oferta só deve aumentar no segundo semestre, quando começa a entrar uma produção que começou a ser melhorada no meio do ano passado. Já a demanda segue fraca, mas não muito diferente da situação de todo início de ano, em que a população está um pouco mais endividada, tem as férias escolares e o pagamento de uma série de impostos anuais.

“A economia dos países importadores também é um motivo de preocupação, porque eles, especialmente a Rússia, têm a economia baseada na exportação de petróleo, e o petróleo caiu do patamar de U$ 90 o barril para pouco menos de U$ 50. Isso acaba complicando a demanda do mercado internacional. Mas a expectativa é que os preços voltem a ficar favoráveis para o produtor, para que ele possa ter uma boa renda e investir na melhoria das granjas”.

Por: Lucas Mayer

0 comentário