Produtores de MG recebem mais R$ 0,50 sobre os R$ 3,50 de custo do kg do suíno vivo. Festas e fidelidade local à carne animam

Publicado em 22/11/2017 12:53 e atualizado em 22/11/2017 14:57
1652 exibições
Talvez até o final do mês, mais R$ 0,10 sejam acrescentados ao valor de hoje para atacado/indústria. Quem sabe podendo chegar a até R$ 4,50 ao final da primeira quinzena de dezembro. Depois há uma estabilidade. E não há oferta em excesso nas granjas mineiras - maioria independentes - que possa anular aquecimento da demanda. Caso do embargo russo às carnes não preocupa.

LOGO nalogo

Antônio Ferraz, presidente da Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais (ASEMG), destaca que o mercado do suíno vivo gira em torno de R$4,20/kg, preço que ainda deve ser ajustado nas próximas semanas em função de um aquecimento previsto.

Neste valor, a carne suína já é considerada barata. Porém, historicamente, o momento atual conta com indústrias realizando estoques para as festas natalinas. Não há oferta em excesso e nem deve faltar carne para abastecer essa demanda.

Os preços atuais, contudo, já são remuneradores para os produtores, que possuem um custo de produção por volta de R$3,60/kg. Ferraz alerta que o preço do milho, por sua vez, não pode subir mais do que os patamares atuais - caso contrário, os produtores já começam a ficar enfraquecidos.

Embora as questões de mercado externo sejam fundamentais para o equilíbrio da cadeia, influenciando diretamente em Minas Gerais, que possui um mercado essencialmente independente, o presidente não acredita que o embargo por parte da Rússia possa gerar problemas, já que os portos russos costumam ficar fechados durante o mês de dezembro e, de qualquer forma, essas exportações seriam paralisadas.

A gastronomia mineira é baseada na carne suína. Com a chegada das festas, o consumo deve ficar ainda mais aquecido. Os mineiros ainda contam com as compras provenientes da região Nordeste.

Por: Giovanni Lorenzon e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário