DA REDAÇÃO: Com mais de 30 dias sem chuva, lavouras da região centro sul de MS estão comprometidas

Publicado em 22/12/2011 14:31 e atualizado em 22/12/2011 16:48 770 exibições
Safra 2011/12: há mais de 30 dias não chove na região Centro-Sul do MS e déficit hídrico no solo vem prejudicando a cultura da soja como um todo e em todas as fases de desenvolvimento. Chuvas previstas são pontuais e em baixíssimo volume, insuficientes para recuperar perdas.
Região centro-sul não recebe chuvas significativas para a agricultura há mais de trinta dias e o déficit hídrico no solo vem prejudicando a cultura dos grãos como um todo e em todas as fases de desenvolvimento.

De acordo com o assistente técnico da Famasul, Lucas Galvan, o tempo seco e as altas temperaturas são fatores que têm causado danos principalmente na região centro- sul de Mato Grosso do Sul. A área que abrange os municípios de Dourados, Maracaju e Ponta Porã, detém cerca de 70% da produção de grãos do Estado. "Essa é uma região que tem sofrido muito.Já começa a preocupar e o sinal está vermelho ou pelo menos amarelo para grande parte dos produtores" comenta.

De acordo com Galvan, existem regiões com estiagem prolongada de até 30 dias, ou com pequenos volumes de chuvas mal distribuídas, insignificantes para a agricultura. Nos últimos meses, além da falta de chuva, as altas temperaturas também são motivos de alerta para os produtores. "Essa associação de falta de chuva e temperatras elevadas faz com que a umidade do solo fique muito baixa", comenta.

Segundo o técnico, na safra de verão cerca de  1,815 milhão hectares são destinados ao cultivo da soja no Estado. Em seguida, vem o milho com apenas 70 mil hectares de área reservada. "A grande preocupação é com a soja. É a nossa principal cultura".

As chuvas previstas para os próximos dias são pontuais e em baixíssimo volume, insuficientes para recuperar perdas. A previsão incial da Conab de uma produção de cerca de 5,4 milhões de toneladas de grãos deve decair para  pelo menos 5 milhões de toneladas em função das adversidades climáticas.

Por:
Aleksander Horta e Marília Pozzer
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário