MERCADO FORA DAS BOLSAS: Cotações do suíno vivo e da carne seguem em queda no mercado brasileiro

Publicado em 23/03/2012 13:15 e atualizado em 23/03/2012 15:05 512 exibições
Cotações dos suínos seguem em queda no mercado brasileiro e atuais valores , tanto do animal vivo quanto da carne no atacado, são os menores desde setembro de 2011. Cotação média da cebola em fevereiro ficou em R$ 0,79/kg, valor 32% maior na comparação com o mês de janeiro.
As cotações do suíno vivo e da carne seguem em queda no mercado brasileiro, com as médias de todas as regiões consultadas pelo Cepea acumulando baixa em março. Os valores atuais, tanto do animal vivo quanto da carne no atacado, são os menores, em termos nominais, desde setembro de 2011. As recentes quedas se devem ao ritmo mais fraco da demanda no mercado doméstico, o que pode estar relacionado às baixas também da carne bovina. Além do enfraquecimento doméstico, as exportações da carne suína estariam em ritmo mais lento. Do lado da oferta, suinocultores têm oferecido mais animais vivos para abate, o que pode estar relacionado ao elevado preço dos insumos e também ao receio de que a desvalorização do seu produto se acentue. Em São Paulo o quilo do suíno vivo vale hoje R$ 2,31  queda de -0.42% em relação ao indicador cepea de ontem.

OVO: Sem oferta em praticamente todo o país, o mercado agora começa a registrar uma relativa queda na demanda. E o produtor, com certeza, deve aproveitar esse fôlego para se organizar e tentar atender melhor seus clientes.  Nos últimos dias o produtor não estava conseguindo atender prontamente a todos os pedidos. A expectativa é que, com o início do mês, a demanda volte. Enquanto isso, pode haver uma pressão negativa, com negocios praticamente nominais.

FEIJÃO: Ontem houve um menor número de negócios em Santa Catarina em função de que a qualidade disponível não era boa 8,5 e os produtores ficaram firmes pedindo R$190/195. Mesmo com a diminuição do interesse nestes níveis não foi registrado um grande volume de produto disponível. O mesmo ocorreu no Paraná com produtores pedindo R$190 e em Unaí registramos um lote que produtor esperava R$195. Nesta madrugada não houve novas ofertas em São Paulo e afirmam os corretores que houve apenas a entrada de 3.000 sacas com venda de apenas 1.000 sacas.  R$190 para feijão nota 8 alta de quase 12% em relação à semana passada.

CEBOLA : Até o final da safra de cebola do Sul, em maio, a expectativa é de mercado favorável aos produtores. Os preços devem seguir em bons patamares mesmo com o gradativo aumento da oferta de cebola da Argentina. O movimento de alta nas cotações começou em fevereiro, com a redução da oferta do (RS). Como os produtores de Santa Catarina e do Paraná têm melhores condições de armazenagem, a oferta passou a ser mais controlada, o que favoreceu o aumento dos preços nessas praças. Em Ituporanga (SC), principal praça produtora do Sul, a média de fevereiro foi de R$ 0,79/kg, valor 32% maior na comparação com janeiro e 88% superior ao  mínimo estimado por produtores para cobrir os gastos com a cultura.

Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário