DA REDAÇÃO: Mercados operam sem direção em Chicago, ansiosos pelo relatório do USDA

Publicado em 28/03/2012 13:29 e atualizado em 28/03/2012 16:44 618 exibições
Soja: ansiedade do mercado tira direção dos preços em Chicago nesta quarta-feira. Soja opera em leve alta, enquanto milho e trigo caem. Expectativa é divulgação de área muito grande de milho no USDA da próxima sexta-feira (30).


O pregão diurno na Bolsa de Chicago abriu a quarta-feira (28) com os contratos futuros operando sem direção definida. Muitos dos participantes liquidam posições, na expectativa do próximo relatório de área a ser plantada nos Estados Unidos e que será divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês) nesta sexta-feira, dia 30 de março.

Direto de Chicago, o analista da Futures International, Pedro Dejneka, enxerga o mercado muito ansioso para os números da nova temporada norte-americana e, apesar de dados indicando maiores quebras na safra da Argentina – estimativa que cai de 46 milhões para 42 milhões de toneladas – investidores se posicionam frente às informações do USDA, já que as perdas na América do Sul foram precificadas nas recentes altas das cotações da soja.

Assim, “o foco está mudando. Ele não é mais necessariamente nessa quebra (da América do Sul) para a safra velha, mas está começando a mudar para o plantio norte-americano”, afirma Dejneka.

Por outro lado, é um fundamento que irá sustentar o mercado no médio e longo prazo, pois compromete a necessidade de, mesmo menor, uma produção quase recorde na safra 2012/2013 dos Estados Unidos para abastecer a demanda mundial.

Para o analista, as projeções do relatório desta sexta-feira devem confirmar maior área a ser plantada com milho, pois ainda é mais lucrativo para o produtor com o programa de seguro de safra dos Estados Unidos. Nem a alta da oleaginosa pode ser capaz de reverter esse quadro, uma vez que existem até informações de vendas recordes de fertilizantes para milho desde o final da última safra.

Por:
João Batista Olivi e Juliana Ibanhes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário