DA REDAÇÃO: Irrigação é solução para perdas na agricultura gaúcha devido à estiagem

Publicado em 28/03/2012 14:21 e atualizado em 28/03/2012 17:37 446 exibições
Irrigação: especialista avalia perdas por causa da severa estiagem no RS com impacto negativo social e econômico. Solução está na irrigação, com necessidade de investir imediatamente na construção de pivôs centrais. Governo já dá ajuda financeira, mas falta crédito diante das frequentes perdas.
O diretor superintendente da Fockink, Siegfried Kwast, fala sobre o problema que destruiu a economia gaúcha, a seca. O estado do Rio Grande do Sul é, historicamente, afetado pela estiagem – nos últimos 10 anos, foram sete secas, sendo que a deste ano teve um dos graus mais severos.  As perdas no milho ficaram acima de 70% e da soja, acima de 50%.

Segundo Kwast, a “vacina” para evitar a “doença” da seca seria um sistema de irrigação, altamente viável no Rio Grande do Sul. Isso porque a região é rica em recursos hídricos e possui uma topografia que favorece a açudagem.  Numa área de, por exemplo, 50 hectares, um açude de cinco hectares já seria suficiente.

O equipamento de irrigação, de acordo com Kwast, não é caro e pode ser pago em três ou quatro anos pelo produtor. Atualmente, o estado tem em torno de 80 mil hectares de terras equipados com pivô central, “esse número poderia pular para 1,5 milhão de hectares”, sugere. 
Por:
João Batista Olivi e Fernanda Cruz
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário