DA REDAÇÃO: Rabobank estima preços por volta de US$ 1,85 em Nova York no segundo trimestre

Publicado em 30/04/2012 13:29 e atualizado em 30/04/2012 16:16 477 exibições
Café: cotações seguem pressionadas em N. York em vésperas do início da colheita da safra brasileira. Expectativa é para uma produção recorde, mas ainda insuficiente para atender a demanda mundial. Preços podem se recuperar no segundo semestre.
Rabobank projetou preços para os contratos futuros do café arábica por volta de US$ 1,85 na Bolsa de Nova York durante o segundo trimestre deste ano. Isso significa queda de 10% com relação aos preços do primeiro trimestre. Esse declínio reflete vendas especulativas e uma produção maior no Brasil na safra 2012/13, segundo o Ranbobank.

A colheita brasileira que começa agora pode totalizar 41 milhões de sacas, de acordo com o Ranbobank. A safra terá 1,5 milhão de sacas abaixo do ciclo anterior, mas será suficiente para manter os preços sob pressão e levar ao excedente mundial.

O analista de mercado Eduardo Carvalhaes, porém, acredita que haja um engano quanto a esse volume. Para ele, a colheita brasileira deverá ficar em 51 milhões de sacas e não 41 milhões. Já com relação ao preço de US$ 1,85, ele afirma que o Ranbobank previu dentro do esperado por analistas.

Rebatendo a possibilidade de excedente mundial apontada pelo Ranbobank, Carvalhaes define a safra brasileira como suficiente apenas para cumprir acordos para exportação e abastecer o consumo interno. Portanto, não haverá excedente.

Sendo assim, o único fator do campo fundamental capaz de influenciar negativamente nas cotações seria a pressão exercida pela entrada da safra brasileira. “Esperamos que a uma certa altura a situação real dos fundamentos acabe prevalecendo e que os preços voltem a reagir em Nova York refletindo os preços do mercado físico”, afirma.

Por:
João Batista Olivi e Fernanda Cruz
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário