DA REDAÇÃO: Medida provisória do Código Florestal apresenta 620 pedidos de emendas

Publicado em 05/06/2012 13:28 e atualizado em 05/06/2012 19:16 316 exibições
Código Florestal: Para Ministra Ideli Salvatti, total de 600 emendas sugeridas ao texto não vão atrapalhar a votação da MP 571 no Congresso, já que nem ao menos serão todas analisadas. Palácio do Planalto não tem pressa e deve esperar período pós Rio+20 para dar encaminhamento às discussões.
Ao todo foram 620 pedidos de emendas ao texto da medida provisória do Código Florestal. Segundo a repórter do Canal Rural, Carolina Bahia, as emendas foram uma maneira, que a bancada ruralista encontrou de firmar posição e de demonstrar o descontentamento com as mudanças promovidas pelo Palácio do Planalto.

Para a ministra da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, o excesso de mudanças não irá atrapalhar a votação dessa medida provisória no Congresso Nacional. O Senador Luiz Henrique da Silveira, relator das alterações na Medida Provisória,  teria avisado que poderia apelar para o chamado Rito Sumário, onde as emendas mais importantes seriam colocadas no relatório final, a partir de um acordo com os líderes de partido.  No entanto, a orientação de algumas lideranças do Planalto é que o senador Luiz Henrique , não encare a medida provisória com tanta pressa, e que deixe passar o período da Rio+20, para amenizar a pressão dos ambientalistas em torno dessa negociação no Congresso. Assim, as emendas serão votadas, apenas em agosto, após o recesso parlamentar.

A repórter comentou também  o pacotão ambiental lançado pela presidente Dilma Roussef, "a presidente Dilma lançou algumas ações de incentivo para formação de reservas ambientais, voltadas principalmente para pessoas de baixa renda, contempladas pelo Bolsa Família, que receberão um complemento do programa, se participarem de medidas voltadas para o meio ambiente. A  ideia é exatamente adiantar as políticas já visando as ações da Rio+20".

Por:
Kellen Severo e Fernanda Custódio

0 comentário