ENTREVISTA: Confira a entrevista com Pedro Dejneka - Analista de Mercado da PHDerivativos

Publicado em 18/04/2013 10:00 884 exibições
EUA Safra 2013: Nova safra de grãos dos Estados Unidos começa sob condições climáticas adversas, com temperaturas ainda muito baixas e chuvas excessivas. Atenção está no ritmo do plantio do milho, que está atrasado em relação à média histórica e poderia incentivar uma migração para a cultura da soja.

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

7 comentários

  • Liones Severo Porto Alegre - RS

    Caro Pedro,

    Quando os Chineses compram ´frames` ou vários navios para várias posições de entregas/embarques, os negócios são feitos ´soja americana e/ou soja brasileira – á opção dos compradores`, opção que pode ser exercida até uma determinada data. Se o comprador Chinês optar pela origem de soja brasileira, normalmente por conveniência comparativa entre o basis americano e o premio brasileiro, o vendedor (trading) imediatamente cancela o registro obrigatório da venda de origem americana. O mercado reporta como ´cancelamento`, o que verdadeiramente não significa cancelamento porque não muda a situação da demanda, desde que, de alguma origem a soja será embarcada, devidamente prevista nos termos contratuais. A propósito, existem mais de 200 industrias na China, com exceção da empresa que compra grãos e oleaginosas para estoque governamental, todas as demais atuam com total independência comercial. Existem muitas outras clausulas contratuais que permitem redirecionamento de navios, com absoluta concordância das partes envolvidas. È sempre saudável nossos debates para contribuição de nossos leitores. Com admiração e respeito. Liones Severo

    0
  • Pedro H Dejneka Chicago/Londrina - PR

    Caro Liones,

    Nao sou da opinao que a China "comprou tudo que podia nos EUA"... como se explicam os inumeros cancelamentos de compras de soja aqui dos EUA no inicio do ano? Compradores Chineses haviam comprado muito sim dos EUA, mas cancelaram compras que foram feitas como "garantia" contra um maior problema com a safra Sul Americana...

    E assim vai...

    Os Chineses sao grandes players do mercado, sabem disso, e sao fantasticos traders que sabem usar a forca que tem sobre o mercado quando precisam... certo ou errado nao importa, e a realidade e depende sob qual lente o comportamento esta sendo observado...

    Temos experiencias e angulos diferentes no mercado Liones, que as vezes estao alinhados, e as vezes nao, que incentiva debates saudaveis...

    E isto e uma maravilha pois quem se beneficia e o leitor/espectador, que tem a oportunidade de acesso a informacoes do maior numero possivel de angulos...

    Sucesso a todos nos...

    Abs,

    PHD

    0
  • Liones Severo Porto Alegre - RS

    Amigão Pedro - Tudo bem. Minha discordância não foi nesse sentido. Apenas que a China não esperou para comprar do Brasil. Comprou tudo o que podia nos Estados Unidos e também no Brasil. O lineup de navios do Brasil destinados à China já somam 19 milhões de tons. Se incluirmos as vendas para embarque de maio, junho e julho; provavelmente estaremos muito próximo do total de 28 milhões de tons (estimado) que o Brasil deverá embarcar para os Chineses. obrigado e forte abraço

    0
  • Pedro H Dejneka Chicago/Londrina - PR

    Grande Liones, tudo bem? Espero que sim...

    Obrigado pelo interesse em deixar seu recado.

    Nao precisa pedir permissao para discordar nao Liones, fique tranquilo - apenas - peco que leia a resposta que ofereci com maior cautela.

    Em momento algum eu indico que a demanda e "inesperada" - apenas uso da expressao na frase " mas isso NAO E necessáriamente por um "aumento inesperado na demanda", mas sim por uma questão de timing:"

    No final, caro Liones, estamos dizendo a mesma coisa - quem assiste minhas entrevistas e le meus comentarios sabe que falo que "a demanda e uma constante, continuara forte" por um bom tempo e o que e importante diferenciar nao e necessariamente a quantidade mas sim o destino da demanda (por sinal falei isso nas tres entrevistas que fiz esta semana ao site).

    Ainda assim, o importante nao e se preocupar em estar certo ou errado e sim em repassar uma opiniao clara e objetiva, seja qual for ela, ao publico que nos acompanha...

    Abs,

    PHD

    0
  • Liones Severo Porto Alegre - RS

    Caro amigo Pedro - permita-me discordar de voce. Realmente no foi um ´aumento inesperado na demanda`, mas a falta de percepção que há muito tempo ´a demanda é crescente e constante`. Haja vista que já não existe soja para exportar dos Estados Unidos. Imagine voce se a China não espera para comprar do Brasil, as exportações americanas teriam sido vencidas ainda no mes janeiro pp.

    0
  • Pedro H Dejneka Chicago/Londrina - PR

    Olá David, excelente pergunta.

    Eu diria que sim, o volume de compradores está acima de volumes históricos; mas isso não é necessáriamente por um "aumento inesperado na demanda", mas sim por uma questão de timing: Com os altíssimos preços atingidos pela soja durante o ano passado, compradores mundiais (leia-se China), faziam o possível para "comprar somente o necessário". É fato de que vários compradores Chineses "seguraram" sua demanda para Março em diante, na espera da enorme safra Sul Americana. Com isso, tiveram de usar parte de seus estoques domésticos para "segurar a barra" até tal periodo. Isso trouxe uma acumulação maior de compradores aí na América do Sul sim; e isso, mais as condições completamente inadequadas da infra-estrutura Brasileira, contribuem para o que estamos vendo hoje: filas de meses para receber carregamentos...

    Desta maneira, com margens de esmagamento ainda positivas lá na China, alguns compradores não querem ou podem esperar 2 ou 3 meses para receber sua soja e por isso, alguns ainda buscam soja aqui nos EUA, o que contribui para os estoques apertadíssimos e preços sustentados (no momento) entre $13,50 - $14.

    Fico á sua disposição para maiores esclarecimentos pelo e-mail: [email protected]

    Att,

    PHD

    0
  • David Navarro Uberlândia - MG

    Pedro, um sua análise os volumes de compradores e navios assediando a soja brasileira não estão acima dos volumes históricos??? E por consequência criando um tumultuo no combalido sistema logístico brasileiro ??? Haja visto que não há outra opção para atender a demanda existente, que não Brasil e Argentina !!!

    0