DA REDAÇÃO: Boi: Mercado segue pressionado com aumento na oferta de animais

Publicado em 13/05/2013 13:52 e atualizado em 13/05/2013 16:16 541 exibições
Boi Gordo: Em GO, MG, MT e MS pecuaristas estão liberando bois conforme o capim começa a secar. Já em SP o cenário é diferente, com oferta restrita. Diferença de cotações entre SP e outros estados é normal para o período, garante analista. Em MT, R$ 90/@. SP, de R$ 95/@ a R$ 97/@ e GO R$ 86/@.
O mercado do boi gordo segue pressionado diante do aumento da oferta em vários estados brasileiros. Segundo o analista de mercado da Cross Investimentos, Caio Junqueira, a tendência é que essa oferta aumente com os animais prontos saindo do pasto em importantes regiões produtoras como Sul de MS, GO, MG, PR.

Em contrapartida, no estado de SP o cenário é diferente, uma vez que a oferta ainda é restrita. “Então, é normal ter essa disparidade de preços entre São Paulo e os demais estados. O mercado ainda passa por pressão, e o quadro é o mesmo da semana passada, e é preciso ficar de olho nos estados produtores que concentram um pouco mais de oferta de bois nesse período”, explica Junqueira.

Paralela a essa situação, o analista ainda sinaliza que as indústrias mantêm o diferencial de base, pois é a lei da oferta e procura. E quando o valor da arroba fica mais caro em determinada praça, os compradores vão buscar a oferta em outras origens mais baratas.

“Quem arbitra o diferencial é o próprio mercado, em função dos impostos e encargos que existem de estado para estado. Existe concentração de indústrias em SP, mas no MS, por exemplo, há concentração de preços, e o frigorífico que mais paga lá, é o grande frigorífico, então existe a concentração, só que por outro lado, necessita de boi fator que, vai fazer ela vir atrás de animal, se tiver uma pequena falta ela será a primeira a pagar na alta”, explica o analista.

Além disso, com a oferta de animais os frigoríficos conseguiram alongar as escalas de abate. Hoje as escalas são mais confortáveis, conforme destaca o analista. Por outro lado, em relação ao relatório indicando que é possível comprar 3,94 sacas de 60 kg de milho com o valor de uma arroba do boi gordo, em SP, o analista destaca que os preços mais baixos do cereal refletem na cadeia produtiva.

“Mas pensamos daqui para frente no volume de boi confinado, os preços mais baixos do milho refletem no mercado. E esse recuo nas cotações dão um pouco mais de margem aos pecuaristas, mas os insumos ainda são caros. Porém, não acredito que essa situação irá salvar o volume de boi confinado, a conta ainda é apertada para se confinar boi”, ratifica Junqueira.

Por:
João Batista Olivi/Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário