DA REDAÇÃO: Famílias expulsas da gleba Suiá Missú (MT) voltam a viver na beira das estradas

Publicado em 10/06/2013 19:07 e atualizado em 10/06/2013 19:37
1763 exibições
Soldados da Força Nacional e da PF obrigam produtores da Suiá Missú, no nordeste do MT (que haviam retomado o Posto da Mata), a voltar para a beira das estradas. Mais de 300 familias estão alojadas em barracas, contando com a solidariedade de vizinhos para poder sobreviver.

As famílias que haviam sido expulsas da gleba Suiá Missú (MT) em dezembro do último ano, na semana passada voltaram ao local e se alojaram no Posto da Mata. No entanto, com a presença da Polícia Federal e da Força Nacional de Segurança no local, eles tiveram que se retirar e voltar a viver na beira das estradas em baixo de lonas.

O Juiz Federal de Cuiabá (MT) determinou que as famílias fossem retiradas do Posto da Mata, alegando que eles atentaram contra o estado democrático de direito. “Vejo isso com muita tristeza porque no Mato Grosso do Sul (MS), onde o mandado era contra os índios, a Polícia Federal e a Força Nacional não cumpriram a ordem judicial e aqui eles vieram nos tirar e ainda iriam apreender os poucos bens que nós temos”, diz Sebastião Prado, Presidente da Associação dos Produtores de Suiá Missú.

As 300 famílias que estavam no Posto da Mata resolveram voltar para as beira das estradas antes do mandado ser cumprido para não perder os seus bens. “A situação está difícil, agora eu estou procurando recursos para conseguir alimentar esse povo, mas eu creio que com a pressão da FPA (Frente Parlamentar da Agropecuária) isso vai ser revisto o mais rápido possível e será tomada uma decisão”, completa Prado.

As famílias desalojadas de Suiá Missú irão participar na próxima sexta feira (14) da movimentação nacional dos produtores rurais para alertar a sociedade sobre a questão indígena no Brasil. 

Por: João Batista Olivi e Paula Rocha
Fonte: Notícias Agrícolas

2 comentários

  • Marcos de Carvalho Dias Poços de Caldas - MG

    "O Juiz Federal de Cuiabá (MT) determinou que as famílias fossem retiradas do Posto da Mata, alegando que eles atentaram contra o estado democrático de direito"... E derrubar duas escolas, posto de saúde, dezenas de casas e comercios, desalojar e expulsar centenas de famílias, o que seria? Quem estará - verdadeiramente - "atentando contra o estado de direito"?

    0
  • Julio Cezar Palotina - PR

    Para todos que tiveram suas terras expropriadas pela funai, a igreja catolica tem uma fazenda muito linda em Sao Gabriel do Oeste MS(uma delas),terras muito fertil,com casas,silo etc.Este e o local para uma reforma agraria exenplar; nao e isso que a igreja "prega"?

    0