DA REDAÇÃO: Polícia trabalha com hipótese de desavença pessoal sobre a morte do índio da aldeia Paraguaçu (MS)

Publicado em 13/06/2013 13:18 e atualizado em 13/06/2013 17:01 419 exibições
Morte de índio da aldeia Paraguaçu em MS, próxima à Fazenda California, não está relacionada com conflito agrário, segundo delegado. Polícia investiga a possibilidade de razões pessoais para a ocorrência da morte. Conflitos por terras indígenas ocorreram na região há quatro anos.

Na manhã desta última quarta-feira (12), por volta das 5h30, um índio foi assassinado próximo ao município de Paranhos (MS). O indígena Celso Figueiredo, de 34 anos, pertencia à aldeia Paraguaçu.

De acordo com o Delegado Rinaldo Gomes Moreira, Celso estava acompanhado de seu pai indo em direção à fazenda Califórnia, que faz divisa com a aldeia. Quando os dois já estavam nos limites da fazenda, foram surpreendidos por uma pessoa que usava capuz e capacete e tinha uma espingarda pendurada no ombro. A pessoa disparou uma vez com a espingarda apenas contra o índio Celso e depois retirou uma pistola da cintura e disparou outra vez contra o índio. O pai, que estava ao lado de Celso, voltou à aldeia para pedir ajuda, porém, quando retornaram ao local, o índio já estava morto.

Tanto o pai de Celso, como a irmã, em depoimentos ao delegado Moreira, afirmam que não existe nenhum tipo de conflito entre índios e fazendeiros. O acesso dos índios à fazenda Califórnia é liberado para caça e pesca. A hipótese de roubo foi descartada, uma vez que os índios estavam indo receber a diária e não voltando. Portanto, o delegado trabalha com a hipótese de crime por desavença pessoal.

Os índios, no momento, estão armados com arco e flecha e pintados para a guerra, mas afirmam que irão apenas enterrar Celso no local onde o assassinato aconteceu. Representantes da Funai junto a Polícia Federal estão no local para tentar acalmar os índios.

Por:
João Batista Olivi e Paula Rocha
Fonte:
Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Augusto Mumbach Goiânia - GO

    Se fosse nos Estados Unidos ou na Europa não tinha morrido só um índio. Se de um lado o agricultor brasileiro é pacífico e respeita a vida, do outro ele se ferra por ser assim. Porque a bandidagem (seja índio, seja sem terra, seja ambientalistas) age e a polícia não faz nada. Eita paizinho que incentiva as nulidades e os criminosos.

    0