DA REDAÇÃO: Preços da soja na Bolsa de Chicago devem ser baixos durante o segundo semestre

Publicado em 29/07/2013 13:40 e atualizado em 29/07/2013 16:07
594 exibições
Grãos: Safra dos EUA está muito bem encaminhada, apesar de produtividade só ser definida ao final de agosto. Clima melhorou nos últimos dias. Está ficando estreita a possibilidade de um novo repique de preços. Produtores norte-americanos estão vendendo seus estoques e causando queda forte no mercado nos últimos dias.

A safra de soja norte-americana está bem encaminhada, mas a produtividade só é definida no final de agosto. O clima nos EUA vem melhorando nos últimos dias e o relatório de condições de lavoura que será divulgado nesta segunda-feira (22) pelo USDA deverá apresentar melhoras em torno de 1% a 2% para a soja e o milho. A previsão para as próximas duas semanas ainda é de temperaturas amenas e chuvas regulares no país.

Com todos esses fatores, o consultor da Safras & Mercado, Flávio França Júnior, afirma que fica cada vez mais estreita a possibilidade de um repique de preços por meio do mercado climático: “Com exceção de alguma surpresa no clima ainda durante o mês de agosto, os preços da soja no segundo semestre devem ser mais baixos. No final do ano o mercado interno pode se descolar do mercado externo e ocorrer repique nos preços do Brasil, mas na Bolsa de Chicago isso não deve ocorrer”.

A Safras & Mercado, na última semana, realizou um levantamento de intenção de plantio, que mostrou um aumento de 3,7% na área de plantio do Brasil, o que também está atuando de forma negativa no mercado, que enxerga além de uma boa safra norte-americana, um aumento na área de plantio sul-americana, impedindo a recuperação de preços nesse momento em Chicago.

O contrato agosto da Bolsa de Chicago expira em duas semanas e o vencimento setembro passa a ser referência para o mercado, que formará preços em cima dos US$ 12,50/bushel, atual valor desse contrato. Flávio diz que a perspectiva para a temporada 2013/14 é de preços entre US$ 12,00/bushel e US$ 13,00/bushel para a soja, com a possibilidade uma queda abaixo dos US$ 12,00/bushel durante a colheita norte-americana.

Por: João Batista Olivi e Paula Rocha
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário