DA REDAÇÃO: Leite – Preços pagos aos produtores registram nova alta no mês de junho

Publicado em 31/07/2013 16:20 e atualizado em 31/07/2013 17:56
496 exibições
Leite: Preço do leite pago ao produtor registrou novo reajuste no mês de junho. Cotações alcançaram R$ 1,05 por litro em alguns estados brasileiros. Alta nos preços é impulsionada pela demanda, que permanece firme. Geadas que atingiram pastagens no Sul do país, na última semana, podem afetar a produção de leite.

O preço do leite pago ao produtor registrou novo reajuste no mês de junho, segundo levantamento realizado pelo Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada). Em alguns estados brasileiros, a cotação alcançou R$ 1,05 por litro. Em comparação ao mês anterior, a média apresentou uma elevação de 3,6%.

De acordo com o pesquisador do Cepea, Paulo Ozaki, os preços são impulsionados pela demanda, que permanece aquecida, mesmo com as cotações mais altas nas gôndolas nos supermercados. “O consumo continua forte, e isso tem elevado os preços tanto dos derivados como dos preços pagos aos produtores”, explica.

Além disso, a expectativa é que os preços apresentem nova alta no mês de agosto. O pesquisador ainda destaca que esse ano tem sido um ano de recuperação para atividade, já que no ano passado os produtores sofreram com os altos custos de produção.

Por outro lado, as geadas que atingiram as pastagens da região Sul do país, na última semana, podem refletir na produção de leite. As pastagens são importantes para o fortalecimento da produção, nesta época do ano. “Então, esse problema pode com certeza afetar a disponibilidade de leite, o que tem sido um gargalo para produção de derivados, especialmente, queijo muçarela e do leite UHT”, diz Ozaki.

Paralelo a esse cenário, a situação também pode ter reflexos nos custos de produção. Já que os agricultores não terão as pastagens disponíveis terão que recorrer às compras de ração. “Muitos produtores já estão abrindo os silos, outros que não produziram a silagem estão investindo em ração, em alguns lugares o consumo de ração já aumentou”, destaca o pesquisador.

Diante dessa situação, o pesquisador sinaliza que os produtores devem investir na atividade, mas de forma comedida. “O produtor capitalizado tende a investir na produção, mas deve investir com cuidado”, ratifica.

Por: Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário