DA REDAÇÃO: Ainda nesta quinta-feira (1) governo pode divulgar medidas de apoio à comercialização para a cafeicultura

Publicado em 01/08/2013 18:30 e atualizado em 01/08/2013 19:38
664 exibições
Café: apoio do governo à comercialização do grão, apesar de atrasado é fundamental para evitar novas quedas nas cotações. Mas a estratégia de enxugar o mercado pode ter sido comprometida pela morosidade no anúncio das medidas.

Nesta quinta-feira (1), o governo pode divulgar medidas de apoio à cafeicultura. No entanto, enquanto o apoio à comercialização não acontece, os preços na Bolsa de Nova York fecharam em queda de cerca de 300 pontos nos principais vencimentos.

De acordo com Eduardo Carvalhaes, do Escritório Carvalhaes, o mercado, principalmente internacional, acredita que o Brasil está colhendo uma safra de mais de 50 milhões de sacas, enquanto o governo estima uma safra de 48 milhões de sacas. Com esse sentimento de oferta suficiente e também de uma safra cheia para 2014, o mercado derruba os preços.

Quanto aos instrumentos de comercialização que estão sendo discutidos pelo governo, Carvalhaes diz que eles já deveriam ter sido adotados há bastante tempo: “Se as medidas tivessem sido tomadas antes do mercado consolidar a ideia de uma grande oferta, esses mecanismos seriam mais eficientes para sustentar os preços, nesse momento já é mais difícil, mas, mesmo assim, o governo deve fazer algo”.

As informações ainda não confirmadas são de que o governo fará leilões de opções de venda por um valor de 360 reais para 3 milhões de sacas. Além disso, atrelado a esse mecanismo de comercialização, estaria também à questão da estocagem prorrogável, que permite ao produtor uma prorrogação automática se ele quiser caso o valor estipulado pelo setor não seja atingido dentro do prazo contratado de estocagem. Com isso, a ideia seria tirar do mercado em torno de 13 milhões de sacas de café ainda este ano.

“Com o atual pessimismo do mercado é necessário ver se os agentes de mercado irão reagir positivamente a isso. Tirar 3 milhões de sacas já é bom e quanto ao produtor prorrogar o financiamento vai depender do que ele pensar sobre isso, uma vez que o agricultor só segura o café se achar que consegue vender por um preço maior mais a frente”, afirma Carvalhaes.

A tendência de preços para o mercado nesse momento depende dessas medidas que podem ser divulgadas ainda hoje (1), mas a ideia do mercado de que existe uma grande oferta mantém os preços em queda e isso só será revertido se a oferta for enxugada.

Por: Aleksander Horta e Paula Rocha
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário